Nestlé, Amazon, Google, IKEA e outras gigantes não cumpriram as suas metas climáticas

De acordo com um estudo recente, 25 das maiores empresas do mundo não estão a conseguir cumprir as suas próprias metas climáticas, entre eles a Nestlé, Amazon, Google e IKEA.

O relatório do NewClimate Institute dá conta que as empresas estão apenas a reduzir as suas emissões em 40%, em vez da taxa de 100% a que se comprometeram para atingir o “zero líquido” ou “neutro de carbono”.

“Propusemo-nos a descobrir o maior número possível de boas práticas replicáveis, mas ficamos francamente surpreendidos e desapontados com a integridade geral das reivindicações das empresas”, diz Thomas Day, do NewClimate Institute, de acordo com a ‘Euronews’.

De acordo com a entidade responsável pelo relatório, parte do problema é como essas empresas avaliam as suas emissões. Oito delas excluem as emissões ‘upstream’ e ‘downstream’ na sua cadeia de valor, que são por atividades indiretamente ligadas às suas operações e correspondem a mais de 90% do carbono que as empresas produzem.

Cerca de 24 empresas tentam compensar as emissões com a criação de florestas e ambientes naturais para absorver seu carbono em vez de reduzir as emissões.

“Os anúncios enganosos das empresas têm impactos reais nos consumidores e formuladores de políticas. Somos enganados ao acreditar que essas empresas estão a tomar medidas suficientes quando a realidade está longe disso”, diz Gilles Dufrasne, do Carbon Market Watch, um dos colaboradores do relatório.

Em declarações à ‘Euronews’, Benjamin Ware, Diretor do departamento climático e abastecimento sustentável da Nestlé, afirmou que o relatório não entende a abordagem da sua empresa e contém imprecisões “significativas”.

“Continuamos a apoiar o desenvolvimento de padrões externos confiáveis ​​para definir e eliminar o greenwashing e alegações infundadas, bem como para garantir estruturas comuns para comparar o progresso, incluindo o GHG Protocol e o projeto FLAG da Science Based Targets Initiative”, refere a IKEA à mesma fonte.

Por sua vez a Google revela estar orgulhosa do progresso feito, sublinhando que em “em 2020, alcançamos 67% livres de carbono por hora nos nossos data centers, acima dos 61% em 2019”. A Google acrescenta ainda que a sua meta é “atingir emissões líquidas zero em todas as nossas operações e cadeia de valor até 2030.”

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.