Mundo Pós Covid? As 15 tendências que podem mudar a sua vida

A plataforma Trendwatching avançou com uma lista de tendências, em diferentes indústrias, que vão crescer radicalmente por influência direta do coronavírus. Ao mesmo tempo, vários pensadores dizem que o coronavírus funciona como um «acelerador de futuros». Ou seja, a pandemia antecipará mudanças que já estavam em curso, como o trabalho remoto, a educação a distância ou a procura da sustentabilidade. Para outros cientistas, no entanto, os efeitos da pandemia causada pelo novo coronavírus durará muitos anos mas também podem acelerar a transição da sociedade para novas formas de viver em comunidade. ​Conheça 15 das principais tendências que vão mudar a sua vida no futuro.
1- Virtual Experience Economy. Com festivais e campeonatos de futebol ainda adiados ou proibidos ao público e espaços como museus encerrados, o vazio na vida das pessoas será interrompido através de experiências virtuais. Vamos ver um aumento das experiências virtuais em setores como o turismo e o retalho.
2 – Shopstreaming. A recente crise viu o mercado mundial de transmissões ao vivo crescer ainda mais e mais rápido do que nos últimos anos -Foi o que aconteceu no mercado chinês no pico da pandemia. Esta mistura de entretenimento, comunidade e comércio aumentará as expectativas do comércio eletrónico à escala global.
3 – Virtual Companions. À medida que nos vamos habituando a assistentes digitais e chatbots, crescem as nossas expectativas. Vamos começar a procurar companhias virtuais personalizadas que nos possam entreter, educar, curar e até com quem criamos amizade.
4 – Ambient Wellness. A rotina diária passa por novos hábitos de higiene e de cuidados de saúde pública. Uma oportunidade de negócio para todos os que incorporem essa ideia nos seus espaços físicos. Viver em ambientes saudáveis vai passar a ser uma das prioridades dos consumidores.
5 – M2P (Mentor To Protégé). Com o número de horas que passamos on-line a aumentar com o isolamento, vai nascer a vontade de se usar parte desse tempo de forma mais produtiva, e vamos assistir ao boom de plataformas que nos ligam a professores, especialistas e mentores.
6 – A-Commerce. A inteligência artificial liga-se ao comércio e vai crescer a procura de interação sem contacto, convergindo com os avanços da robótica. É a chegada de uma nova geração de comércio automatizado.
7 – The Burnout.  Ainda antes desta crise global provocada pelo coronavírus, já vivíamos em clima de medo e de angústia, pressionados por uma competição social permanente. O vírus acrescenta angústia mental a todos nós, pelo que, vamos receber de braços abertos todos os negócios que possam melhorar o nosso bem-estar mental.
8- Revisão de crenças e valores. A crise de saúde pública é definida por alguns pensadores como um “reset”, capaz de provocar mudanças profundas no comportamento das pessoas. “Uma crise como essa pode mudar valores”, diz Pete Lunn, chefe da unidade de pesquisa comportamental da Trinity College Dublin, em entrevista ao jornal Newsday.
9-Menos é mais. A crise financeira decorrente da pandemia será por si só um motivo para que as pessoas economizem mais e revejam os seus hábitos de consumo. Como explica o Copenhagen Institute for Futures Studies, a ideia de “menos é mais” vai guiar os consumidores daqui para frente.
10-Trabalho remoto. O home office já era uma realidade para muita gente, de freelancers e profissionais liberais a funcionários de companhias que já adotavam o modelo. Mas essa modalidade vai crescer ainda mais. Com a pandemia, mais empresas —de diferentes portes— passaram a organizar-se para trabalhar com esse modelo. Além disso, o trabalho remoto evita a necessidade de estar em espaços com grande aglomeração, como os transportes públicos, especialmente em hora de ponta.
11-Morar perto do trabalho. Com o receio de novas ondas de contágio, morar perto do trabalho, a ponto de ir a pé e não usar transportes públicos, deve tornar-se um ativo ainda mais valorizado.
12. Educação à distância. Se a procura por conhecimentos está em alta, a expansão das plataformas de educação a distância irão acelerar. Neste contexto, uma nova figura deve entrar em cena: os mentores virtuais.
13-Valorização das áreas naturais. Passeios em áreas naturais ou perto de cenários como montanhas, lagos ou praias reduzem o stresse no período de distanciamento social. O ar puro e a paisagem natural têm um efeito reconhecido para a saúde mental. No entanto, muitas cidades fecharam o acesso aos parques públicos urbanos, privando os cidadãos desses espaços verdes. A privação irá aumentar a valor desses metros quadrados de natureza.​
14- Maior controlo à produção de animais. Muitos dos processos de produção de animais podem estar na origem de doenças potencialmente catastróficas. O Covid-19, provavelmente, teve origem em animais selvagens presos em jaulas e sem condições de higiene para consumo humano na China. A publicação científica “American Journal of Public Health” alertou em 2007 que a produção de animais em situações como esta poderia ser a origem da próxima grande pandemia. Nunca foram levados a sério.​
15- Maior credibilidade da Ciência. Os cientistas já tinham alertado que uma pandemia à escala mundial poderia acontecer. Os que tentaram negar as evidências e as estimativas dos cientistas foram obrigados a voltar atrás, rapidamente derrotados pelos factos. ​
pub

Comentários
Loading...