Ensino à distância aumenta risco de abandono escolar. Escolas sinalizam quase 2000 alunos

A pandemia e o ensino à distância estão a aumentar o risco de abandono escolar. Em 2020, as escolas sinalizaram às comissões de proteção de crianças e jovens 1900 alunos em risco de abandono escolar – mais 200 do que em 2019, segundo o Jornal de Notícias (JN), que cita os ministérios da Educação e da Segurança Social.

Num questionário feito pelo Conselho Nacional de Educação sobre o impacto da pandemia no ensino, os diretores responderam que, entre março e junho do ano passado, não conseguiram contactar 2% dos alunos para participarem nas atividades online. O valor aumenta para 7% entre os professores com função de coordenação.

O presidente da Associação de Diretores de Agrupamentos e Escolas Públicas, Filinto Lima, diz ao JN que “o ensino à distância propicia o abandono” escolar e “aumenta a desmotivação dos alunos”. Porém, a falta de computadores ou de acesso à Internet não justifica todas as ausências, ressalva o responsável. “Há alunos com material que não se ligam. É mais grave e preocupante. Estão totalmente desinteressados”, acrescenta.

O secretário de Estado Adjunto e da Educação, João Costa, já tinha dito no Parlamento que “houve alunos que não voltaram à escola no arranque do ano letivo”. De facto, o processo de matrículas detetou uma redução no número de alunos, confirmou o Ministério da Educação ao jornal.


Artigos relacionados
Comentários
Loading...