pub

A aventura dos cruzeiros oceânicos

O grupo nasceu com os cruzeiros fluviais e cresceu com vários negócios que, todos eles, têm uma ligação concreta com a água. 2019 é o ano de largar amarras e navegar em alto mar, com o lançamento da mystic cruises e do primeiro paquete construído em portugal, o mv world explorer

Começou com um pequeno barco, um cacilheiro recuperado, nas águas do Douro. Mário Ferreira, CEO da Mystic Invest Holding, é um apaixonado por cruzeiros e viu no Douro uma oportunidade única para a realização de cruzeiros fluviais. Passados 25 anos construiu um grupo sólido que é hoje uma referência internacional no sector. A Mystic Invest é um império náutico avaliado em 625 milhões de euros. Tem negócios hoteleiros, imobiliários e ligados à água: rio e mar – DouroAzul, Nicko Cruises e agora a Mystic Cruises.

Ainda que o início não tenha sido fácil, «porque esta é uma área que exige muito trabalho e investimento, e porque quando iniciámos este projecto, o conceito de cruzeiros de uma semana no Douro era de tal forma inovador que ninguém acreditava no nosso sucesso», adianta Mário Ferreira.

De qualquer modo, o sucesso chegou a tempo de rapidamente contrariar o que muitos pensavam. «Cá estamos a provar que sim, é possível. Hoje em dia, somos o terceiro maior operador de cruzeiros fluviais a nível mundial, posição que alcançámos com a aquisição e integração no grupo da Nicko Cruises, em 2015. Uma aquisição que nos permitiu alargar os horizontes da operação e internacionalizar a Mystic Invest para lá da fronteira com Espanha. Este ano é a vez da aventura dos cruzeiros oceânicos, com o lançamento da Mystic Cruises e do primeiro paquete construído em Portugal, o MV World Explorer», explica- -nos o CEO, tudo isto enquanto a empresa se mantém fiel aosprincípios de prestar um serviço de qualidade, com os cinco prémios de Melhor Empresa de Cruzeiros Fluviais da Europa à DouroAzul a comprovarem-no.

São líderes de mercado de cruzeiros fluviais no Douro, com uma quota superior a 50% do mercado, com 12 navios-hotel em operação a transportarem cerca de 32 mil hóspedes por ano. «Em termos de dormidas na região, estamos a falar de cerca de 220 mil dormidas por ano, a bordo das nossas embarcações ao longo de toda a região do Douro», detalha o CEO.

ÁREAS DE NEGÓCIO E ESTRATÉGIA

A Mystic Invest é um dos maiores operadores de cruzeiros no Mundo e conta com uma frota de 43 navios com planos de expansão no futuro próximo. Neste sector actua em duas vertentes: cruzeiros de rio, com a DouroAzul e a Nicko Cruises, e cruzeiros de mar, com a Mystic Cruises, sendo que aqui a Nicko revenderá os cruzeiros da Mystic no mercado da Europa Central.

A empresa lançou-se nos gelos oceânicos do Ártico e Antártida. Começando precisamente pela vertente de cruzeiros oceânicos, a Mystic Cruises irá realizar cruzeiros expedicionários na Antártida, na zona do Círculo Polar Ártico – incluindo Islândia e Gronelândia – nos Fiordes da Noruega, Mar Báltico, Mediterrâneo e na América do Sul, realizando duas vezes ao ano a travessia transatlântica ligando Portugal ao Brasil. «Serão cruzeiros expedicionários em navios que desenvolvemos desde raiz para esse efeito; navios mais pequenos, com capacidade até 200 passageiros, criados especificamente para realizar cruzeiros nestes locais e para poderem atracar em portos mais pequenos e perto do centro das cidades. Uma experiênciadiferente e mais autêntica comparativamente com os mega-cruzeiros mais tradicionais.»

No negócio dos cruzeiros fluviais a empresa actua nos principais rios europeus, através da Nicko Cruises. «Em termos de cruzeiros fluviais “ligamos” a foz do Douro no Porto, à foz do Yangtze, em Shanghai. Temos cruzeiros em todos os principais rios da Europa, África e Ásia numa extensão de 10 mil quilómetros. Os que têm maior procura, por serem os mais tradicionais em termos de cruzeiros fluviais, são o Danúbio, o Reno, o Sena e, claro está, o Douro. Mas temos vindo a crescer em destinos mais exóticos como o Yangtzé, o Mekong e o Volga.»

De momento, a Mystic Invest está focada na consolidação doscruzeiros oceânicos que irá já acrescentar mais de uma dezena de países aos destinos em que opera. No futuro tem planos de alargar a oferta. A escolha dos locais de destino passa sempre por «aliar à beleza natural e arquitectónica, experiências culturais autênticas e exclusivas», dá-nos conta.

Este ano, também é marcado pelo lançamento do primeiro navio construído em Portugal, o MV World Explorer. E tem já contratada a construção de mais duas embarcações, a serem lançadas em 2020 e 2021. «Portugal produz com qualidade. No caso concreto da construção naval, o nosso País tem uma história riquíssima de inovação e de desenvolvimento nesta indústria que, na nossa visão, estava a ser desperdiçada. Temos provado que é possível construir navios com qualidade, capazes de rivalizar com os melhores estaleiros mundiais. Para além da própria construção dos navios em si, o apetrechamento dos mesmos é feito quase em exclusivo com empresas portuguesas.

As alcatifas são portuguesas, os cortinados, os atoalhados e as roupas das camas, a louça, os copos. Tudo produtos nacionais. E obviamente temos também produtos nacionais a bordo, como o vinho ou a ourivesaria portuguesa. Vemos os nossos navios, e especialmente o nosso primeiro navio oceânico, o MV World Explorer, como uma embaixada de Portugal que irá apresentar ao Mundo a qualidade dos nossos produtos», sublinha.

Os objectivos são ambiciosos: ter uma frota de 10 navios de cruzeiros de expedição a operar durante a próxima década. «Iremos continuar também a nossa aposta nos cruzeiros fluviais, tanto no Douro com a DouroAzul, como a nível mundial com a Nicko Cruises, através da expansão e renovação das respectivas frotas, e da captação de novos mercados», enumera parte da estratégia. Já as estimativas de facturação tencionam ultrapassar os 200 milhões de euros em 2020.

Recentemente venderam 40% do negócio dos cruzeiros por 250 milhões de euros, à Certares que é um dos maiores grupos de distribuição de turismo a nível mundial e muito focado no sector dos cruzeiros. «Um negócio que não só nos valoriza financeiramente como, sobretudo, nos abre novas perspectivas em termos de crescimento e de distribuição, uma vez que passamos a ter acesso à maior plataforma de distribuição de cruzeiros a nível global. Com este negócio vamos poder acelerar o crescimento do grupo no sector de cruzeiros, mais especificamente nos cruzeiros de expedição, e posicionarmo-nos de forma vantajosa neste mercado que pretendemos liderar.

Este crescimento e esta afirmação, irão também possibilitar futuramente cotar a empresa na bolsa de Nova Iorque», ressalva ainda. Analisando as perspectivas de crescimento do mercado internacional de cruzeiros, e tendo em consideração a estratégia a médio-longo prazo, a estimativa de Mário Ferreira é que, brevemente, a Mystic Invest atinga o valor de 2,5 mil milhões de euros.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...