UE coloca Ilhas Caimão na lista negra de paraísos fiscais

As Ilhas Caimão, um território britânico ultramarino, vão passar a ser incluídas na lista negra de paraísos fiscais da UE, por decisão da mesma, quase duas semanas depois da saída do Reino Unido do bloco europeu, de acordo com o ‘The Guardian’.

Os 27 ministros das Finanças da UE, devem assinar a decisão na próxima semana, um indicador de que o país britânico se encontra a perder influência na tomada de decisões, segundo apontado pelo jornal.

Os embaixadores da UE consideram que as ilhas Caimão, não se encontram a cooperar com Bruxelas, ao nível da transparência financeira, informou o ‘Financial Times’, juntando-se assim aos territótios: Fiji, Omã, Samoa, Trinidad e Tobago, Vanuatu, American Samoa, Guam e ‘Virgins Islands’, como parte integrante da lista negra de paraísos fiscais.

As Ilhas Caimão já estavam sob alerta, depois de terem sido colocadas em lista cinzenta, em 2018. A UE temia que o regime tributário desse território facilitasse estruturas offshore que atraem lucros sem uma actividade económica real.

No ano passado, o Reino Unido e a sua «rede de paraísos fiscais corporativos» foi considerado o maior facilitador do mundo em evasão fiscal pela Rede de Justiça Tributária. Os territórios britânicos compunham quatro dos dez locais que se diz terem feito o máximo para «proliferar a evasão fiscal», no índice de paraísos fiscais das empresas, avança o ‘The Guardian’.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Quer ir ao Burning Man? Cuidado com os bilhetes falsos
Automonitor
#Ensaio – Mercedes-Benz GLC 220d – A medida perfeita