IX Barómetro Executive Digest: Mário Vaz

A capacidade de Portugal chamar a si a implementação de um número alargado de centros de competências, por parte de multinacionais, é dos temas mais destacados no Barómetro da Executive Digest.

Mário Vaz – CEO da Vodafone

Os centros tecnológicos e de competências aparecem como a principal alavanca da Economia. Não é difícil perceber porquê. Portugal está no radar de grandes multinacionais que têm escolhido o nosso País para investir na instalação deste tipo de centros. A localização estratégica, a segurança, a qualidade dos nossos recursos humanos, a excelência das infra-estruturas tecnológicas e o ambiente de negócios favorável, resultante da estabilidade política por confronto com outros países/regiões, são factores que pesam na tomada de decisão destas empresas quando optam por Portugal para instalação dos centros de competência e inovação. Dados da AICEP revelam que existem mais de 450 empresas a operar a partir de Portugal para o Mundo, empregando cerca de 55 mil pessoas. A Vodafone Portugal é, aliás, um desses exemplos.
O grupo escolheu Portugal para acolher três centros de competências: o de Televisão, o de monitorização de redes e o de IoT. Ao todo, estas equipas têm cerca de 450 quadros altamente especializados, que trabalham na exportação de serviços, sendo este um dos benefícios que Portugal retira do investimento. O mercado internacional continua dinâmico e Portugal deve saber promover os factores críticos de sucesso que fazem do nosso País um local de excelência.

Leia este artigo na íntegra na edição de Maio de 2019 da Executive Digest.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Matrics quer revolucionar mercado do gaming em Portugal
Automonitor
Alpine A110S é uma versão ainda mais exclusiva