Dia da Bitcoin: Conheça os perigos da criptomoeda e as formas de manter a sua carteira segura

No próximo domingo, dia 22 de maio, assinala-se o dia da Bitcoin, e com o aumento desta tecnologia digital em todo o mundo, os perigos relacionados também estão a crescer.

A Check Point Software Technologies Ltd., uma empresa que fornece soluções de cibersegurança a nível global, divulgou que só no ano de 2021, os golpistas de cripto roubaram um recorde de 14 mil milhões de dólares (cerca de 13 mil milhões de euros), o que representa um aumento de 79% em relação a 2020.

Para além disso, estima que tenham acontecido milhares de ciberataques relacionados com criptomoedas em 2021 e destes, pelo menos 40 tiveram graves consequências, causando perdas no intervalo de 1 a 3 mil milhões de dólares (cerca de 948 milhões a 2,8 mil milhões de euros).

“O Dia da Bitcoin é um bom lembrete para olharmos para trás e revermos os marcos tecnológicos que a blockchain alcançou. Atualmente, com as grandes empresas tecnológicas a investir no Metaverso, o aperfeiçoamento das tecnologias blockchain e as constantes inovações estão a criar a nova Internet – a Internet of Value. Estamos no início de uma nova era, a era do Metaverso, e será fascinante ver o que está para vir e como vamos assegurar o seu futuro”, diz Oded Vanunu, Head of Products Vulnerability da Check Point Software.

“Entretanto, os utilizadores devem permanecer conscientes dos riscos da sua cripto wallet e permanecer vigilantes quando se trata de atividades suspeitas que possam levar ao roubo. Os atacantes continuarão a expandir os seus esforços no sentido de roubar cripto wallets enquanto exploram as vulnerabilidades do sistema, como já vimos em 2022”, acrescentou.

Deste modo, fizeram a empresa fez uma lista de recomendações para manter as carteiras seguras relativamente a estes ativos.

– Não abrir links suspeitos, especialmente de fontes desconhecidas;

– Ter o sistema operativo e o antivírus sempre atualizados;

– Evitar ao máximo fazer downloads de softwares e extensões de browser de fontes não oficiais;

– Desconfiar de pedidos suspeitos para iniciar sessão em links ou Marketplace;

– Rever sempre o que está a ser requerido antes de aceitar pedidos;

– No caso de dúvida, rejeitar esses pedidos e pesquisar sobre o tema.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.