pub

FMI prevê que dívida pública suba para novo máximo histórico de 135% do PIB

A dívida pública portuguesa vai disparar em 2020 para 135% do Produto Interno Bruto (PIB), fixando um novo máximo histórico, segundo as previsões do Fundo Monetário Internacional (FMI) publicadas esta quarta-feira no Fiscal Monitor.

Com a economia a contrair 8% e o défice orçamental a chegar a 7,1% do PIB, a dívida pública regressa a níveis acima de 130% em que se manteve entre 2013 e 2016.

Desde 2016 que o peso da dívida havia descido, tendo atingido 117,6% do PIB no ano passado. O objetivo para 2020, inscrito no Orçamento de Estado, era reduzir esse peso para 116,2%, o que já não será possível, na sequência da crise fruto provocada pela covid-19.

Em 2021, o esforço de redução da dívida regressa, com a previsão do FMI a apontar para uma descida para 128,5% do PIB, um corte de 6,5 pontos percentuais do PIB.

O Fiscal Monitor, o relatório do FMI coordenado por Vítor Gaspar, o ex-ministro das Finanças português, sublinha, ainda, que as necessidades de financiamento das economias desenvolvidas vão disparar. O Japão e os Estados Unidos vão liderar nesse campeonato.

No caso de Portugal, as necessidades de financiamento vão situar-se em 18,6% do PIB.

Continuando no clube das economias do euro com maior nível de sobreendividamento (acima de 100% do PIB), Portugal situa-se numa zona de risco nos mercados desenvolvidos em que a dinâmica da dívida pode provocar uma subida das taxas de juro que estão ainda em níveis historicamente baixos.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...