Randstad Insight: A tecnologia é uma arma

Por José Miguel Leonardo | CEO Randstad Portugal

Uma história que começa na China, à semelhança de outras, mas que teima em não terminar e que colocou na Europa um dos seus focos de contaminação, trazendo para o velho Continente uma preocupação e uma realidade que parecia existir apenas do outro lado do Mundo.

Em momentos como este, em que o Mundo fica mais pequeno, em que os números continuam a subir e a cura parece tardar é que a Humanidade tem de transparecer. Humanidade porque são estes os valores que procuramos: cooperação, inter-ajuda, colaboração, transparência… A noção de que juntos podemos fazer a diferença, não apenas na prevenção, mas também na comunicação e na erradicação. A noção de que esta não é a missão de um, mas de todos.

Se o passado nos conta muitas histórias de epidemias e algumas delas também com escala em vários países, a verdade é que esta é diferente. É diferente não pela proporção mas porque hoje temos uma nova aliada neste combate: a tecnologia. A tecnologia que é muitas vezes apresentada como destruidora de empregos ou substituta de pessoas. A tecnologia que é acusada de desumanizar as relações é, sem dúvida, uma das maiores aliadas nesta guerra. Não apenas na componente de investigação e desenvolvimento, mas no dia-a-dia, na busca da normalidade. Na prevenção que isola fisicamente mas que não separa, porque estamos ligados. No trabalho porque não nos sentamos lado a lado mas mantemos reuniões e produtividade. Porque nos permite proteger e fazer ao mesmo tempo. Comunicar e não estar isolados sem saber, sentados à espera que a televisão nos diga o que se passa no Mundo. E é aqui, hoje e agora, que as empresas têm a responsabilidade de mostrar na prática a sua tão falada transformação digital. A flexibilidade de trabalhar de casa, o trabalho remoto que se baseia na entrega e não no estar presente. As soluções que garantem a qualidade do serviço dentro da Lei, protegendo não apenas os colaboradores da exposição mas todos os intervenientes. E não podemos resistir, temos de aceitar a urgência. As entrevistas de emprego podem ser feitas por soluções de video interview, nós conseguimos não apenas fazer o agendamento, como gravar esse registo e até acrescentar valor no processo de decisão do cliente. A mesma solução permite fazer assessments, ou seja avaliações de competências, provas de vídeo e até as chamadas killer questions, ou seja questões eliminatórias. Uma solução que resulta numa melhor gestão de tempo do consultor mas também do candidato. Ao mesmo tempo, os processos de candidatura podem ser feitos à distância. O site, o chat e até uma linha de voz com gravação de consentimento permitem que tudo se passe à distância e que o mundo continue a girar, suportado por outro paradigma, mas a girar.

A comunicação com os colaboradores pode ser feita não só através de email mas também pela app dos trabalhadores, pela extranet onde consultam os recibos ou uma vez mais pelo contact center.

Pessoas e tecnologia. O melhor das pessoas e o melhor da tecnologia. Juntos com o propósito de resolver, de erradicar, de prevenir e de estancar. Juntos, porque só juntos vamos colocar o fim nesta história.

Artigo publicado na Revista Executive Digest n.º 168 de Março de 2020

Ler Mais

Comentários
Loading...