Os ensinamentos de um líder global

Um verdadeiro líder global mais do que se dividir entre múltiplas geografias, tem a capacidade de atravessar as barreiras culturais materializadas em diferentes rotinas de trabalho, expectativas de prazo, formatos de entrega, ritmos de comunicação e até visões do mundo.

 

Por Beatriz Cabral, Global Head of Performance Marketing & Communication do Grupo MDS

Na nossa vida profissional estamos sempre a encarar diferentes desafios. Todos os dias. É isso que nos motiva e nos faz querer avançar no nosso propósito de carreira. O mundo global amplia exponencialmente as possibilidades e, ao mesmo tempo, impõe-nos novos modelos de trabalho. Nessa perspectiva, e prestes a completar um ano de experiência profissional entre dois países em simultâneo, partilho algumas lições aprendidas – e estou certa de que ainda há muitas por vir.

Hoje, um verdadeiro líder global mais do que se dividir entre múltiplas geografias, tem a capacidade de atravessar as barreiras culturais materializadas em diferentes rotinas de trabalho, expectativas de prazo, formatos de entrega, ritmos de comunicação e até visões do mundo. Saber valorizar nacionalidades é apenas mais um aspecto da riqueza que a diversidade aporta ao ambiente corporativo e, consequentemente, aos resultados de uma empresa. Mas ao ser desafiada a estar fisicamente em dois países, tornou-se fundamental para mim cumprir algumas etapas.

A primeira foi ser capaz de ver para além dos processos existentes ao fazer o diagnóstico inicial. Ter um olhar cuidadoso, ouvir com atenção e conhecer a visão dos colegas ajuda a identificar os pontos fortes e as prioridades a serem melhoradas. Uma forma de fazer isso foi incentivar as equipas dos diferentes países – e até das diferentes áreas – a ter rotinas partilhadas. O diálogo e a troca de experiências têm sido grandes aliados das soluções criativas.

Ao adoptar um modelo mais colaborativo, as equipas mostraram-se mais comprometidas e motivadas para a segunda etapa do processo: o conhecimento mais profundo dos clientes. A proximidade ajuda a trazer a perspectiva para os indivíduos. No Marketing Human to Human, as empresas são feitas por pessoas e para pessoas. A conexão, nos seus diversos sentidos, é fundamental.

A terceira etapa foi trazer agilidade aos projectos e melhorar a experiência do cliente: aproveitámos o nível já alcançado de colaboração entre as equipas para mapear, avaliar e medir os projectos de Marketing realizados em ambos os mercados. Como resultado, consolidámos os primeiros relatórios integrados de Portugal e Brasil. Baseados nos dados obtidos, estas compilações mensais têm-nos ajudado a perceber se as tarefas realizadas pelas equipas são complementares e estão alinhadas com a estratégia da empresa e como objectivo comum: a satisfação dos clientes.

Vale a pena dizer que a produção destes relatórios conta com ferramentas facilitadoras, tanto para o líder quanto para a equipa. Devido à distância física, a transparência e a clareza são essenciais. A regra parece paradoxal: estar próximo, mesmo distante. Se no início da década de 2000 o e-mail era uma revolução, hoje os aplicativos de mensagens e as plataformas na cloud podem ser catalisadores do relacionamento.

A tecnologia como simplificadora das relações também permite que o líder global actue em várias frentes em simultâneo. Através de chamadas de vídeo ou de áudio, é possível estar em reuniões e até dar pequenas orientações ou ter conversas individuais. Tudo isto pode fazer parte da rotina diária, até entre viagens. Entretanto, embora esta facilidade de comunicação permita interacções a distância, o contacto pessoal, o diálogo frequente e o olhar humano devem coexistir com as ferramentas.

Perante todos estes desafios, o líder global não pode esquecer-se de si mesmo: a sua qualidade de vida está directamente ligada à produtividade e ao bem-estar da área. Por isso, reservar algum tempo para a prática de exercício físico, leitura e diversão faz toda a diferença. No meu caso, o Yoga, a corrida e a convivência com amigos de mundos distantes do meu ajudam no processo criativo, na empatia e na procura de soluções para as questões diárias. Um indivíduo feliz está mais propenso a inspirar e a promover o melhor nas pessoas ao seu redor.

Actuar em ambientes diferentes e com equipas diversas caracteriza o actual líder internacional. Mas, muito mais do que o rótulo “global” no título, é essencial domínio do negócio nas diferentes geografias, estratégia para direccionar resultados e competência para lidar com várias linguagens. A chave para obter ganhos efectivos é manter sempre a confiança e a centralidade nas pessoas, criando uma equipa com valor único a partir das suas diferenças.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...