5 etapas para criar um orçamento que realmente funciona

Quem disse que era fácil criar um orçamento? Tenha calma, também não é um bicho-de-sete-cabeças. Para criar um orçamento que é uma das partes importantes em qualquer plano financeiro bem-sucedido, vai ter de despender algum tempo, pelo menos no começo, e seguir algumas etapas.

Segundo o perito financeiro norte-americano Deacon Hayes, autor do livro “You Can Retire Early!”, as seguintes 5 fases podem ajudá-lo a criar a um orçamento que melhor se adequa a si.

1- Reúna todos os dados financeiros

Criar um orçamento bem-sucedido requer essa mesma informação. Depois de saber por onde começar, pode descobrir onde quer chegar. Os dados financeiros incluem extratos bancários, extratos de cartão de crédito e faturas. Além de qualquer outra documentação que mostre as despesas e receitas mensais.

Dê preferência aos papéis ou verifique as contas online, se necessário, e aponte. Depois pode passar para a segunda etapa.

2- Aponte todos os itens e divida por receita ou despesa

A próxima etapa envolve a divisão de todos os itens pelas colunas de receita e de despesa. No que diz respeito ao seu vencimento mensal, pode anotar como receita. Se for casado, deve incluir qualquer renda conjugal que possa ter. Além disso, não se esqueça de segundos empregos, contratações secundárias ou outras fontes de rendimento regulares. Em seguida, noutra lista, aponte as despesas mensais e qualquer outra despesa regular.

No entanto, em algum momento, pode querer mudar para um sistema de gestão de despesas mais atual, online. Hoje em dia são várias as aplicações que o podem ajudar. Dessa forma, pode ver todas as receitas e despesas apontadas numa única página. Mas esta é uma questão de preferências pessoais apenas: papel ou online.

3- Compare o orçamento com os rendimentos

Em seguida, subtraia as despesas às receitas. No final de cada mês pode ter dinheiro a sobrar, não ter nenhum de todo ou ainda estar a dever.

Se as despesas mensais forem maiores que as receitas, vai precisar de começar a ajustar o orçamento para cortar despesas. O objetivo é descobrir quanto dinheiro precisa de cortar nas despesas para obter um número zero.

Se reduziu as despesas ao máximo e mesmo assim as contas ainda estão negativas, então é hora de pensar em como pode aumentar as receitas.

Por outro lado, talvez esteja numa situação em que tem dinheiro a sobrar a cada mês depois de feitas as contas. Ou talvez o orçamento mostre que deve ter dinheiro a sobrar, mas a conta bancária diz o contrário. Esse é um problema comum e geralmente é o resultado de gastos não planeados e que não foram registados. Como por exemplo, portagens, algumas refeições rápidas e compras inesperadas.

Sobre isso, tenha atenção à quarta fase.

4- Crie objetivos financeiros

Ter metas financeiras é uma parte vital do sucesso financeiro. É muito importante que se questione sobre o que quer alcançar financeiramente. Fundos de emergência ou várias poupanças, como economizar para a faculdade dos filhos ou investir para a reforma.

Anote os principais objetivos financeiros e tente encontrar alguns objetivos de curto, médio e longo prazo.

  •  Metas de curto prazo podem levar um ano ou menos
  •  Metas de médio prazo podem levar entre um a cinco anos
  •  Metas de longo prazo podem levar mais de cinco anos

Tente e trabalhe sua lista para que tenha dois ou três objetivos em cada categoria. Se tiver um cônjuge, trabalhe em conjunto para planearem as metas do casal.

Fale sobre o que é importante para si e onde quer estar em cinco, dez ou vinte anos e use as respostas para determinar os objetivos.

Quando está a criar um orçamento, essas metas ajudam a lembrar “por que” o está a fazer em primeiro lugar e depois ajudam-no a gastar o dinheiro de uma forma mais disciplinada. Por exemplo, quer viajar e ter umas férias num destino paradisíaco no próximo ano. Esse objetivo pode fazer com que poupe dinheiro que normalmente iria gastar sem grande necessidade.

Conhecer os seus objetivos ajuda-o a manter o orçamento que criou, especialmente, se a sua vida envolver outra pessoa. É por isso que este próximo passo é tão importante quanto os outros.

5- Ajuste o orçamento e envolva outro no processo

Muitos casais não trabalham no orçamento juntos. No entanto, esta é uma chave importante para administrar dinheiro no casamento. Se o seu cônjuge não estiver envolvido no processo de criação do orçamento do casal, será fácil que surjam discussões pelo dinheiro.

Decidir o valor que cada um dá a cada categoria só se consegue através do diálogo. Cada um vai ter de ser mais flexível com o outro em determinada área, sem esquecer que o objetivo é ter um orçamento que funcione para os dois.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
178 restaurantes juntam-se à Rota de Tapas Estrella Damm
Automonitor
Quer o novo Peugeot 208? Encomendas abrem hoje…