Universidade Portucalense: Carreira de sucesso

A realização de um MBA é sem dúvida um processo transformador na vida daqueles que optam por estes programas, pela exigência, dedicação e tempo que envolve. As perspectivas de um aumento salarial, progressão na carreira ou, simplesmente, uma mudança na careira são motivações apontadas com regularidade para a escolha deste tipo de formação.

Mas o MBA pretende também dar resposta àqueles profissionais que ambicionam novas experiências de aprendizagem capazes de complementar os conhecimentos e competências adquiridas. «A capacidade para lidar com situações não previsíveis e flexibilidade para redireccionar negócios, projectos e equipas são competências desenvolvidas com um plano de estudos adequado ao nível da formação de executivos num MBA. É inquestionável que um MBA possibilita a descoberta de novas práticas de gestão, mas não deve subestimar-se a importância do seu impacto ao nível do desenvolvimento pessoal.

O potencial do networking e a descoberta de alternativas de desenvolvimento de carreira, até então desconhecidos, são benefícios da experiência partilhados por muitos participantes», afirma Adelaide Martins, coordenadora do MBA para Gestores de PME da Universidade Portucalense (UPT). O MBA para Gestores de PME destina-se a todos os profissionais com a mais diversa formação que pretendam renovar e reforçar conhecimentos e competências nas diversas áreas da Gestão, alargando a rede de contactos e aguçando o espírito crítico. Segundo a responsável, gestores, quadros de empresas e instituições têm procurado o MBA para elevar o nível de competências ao nível da tomada de decisão e da visão do negócio nas PME.

«O programa favorece uma formação orientada para o desenvolvimento das competências mais valorizadas pelo mercado do trabalho, que favorecem a empregabilidade e potenciam uma carreira de sucesso. As sessões de formação decorrem de forma intensiva, num ambiente dinâmico, propício ao aprofundamento de conhecimentos e competências técnicas, complementados com o desenvolvimento de soft skills, com uma forte componente prática em contexto empresarial, que incentiva a motivação dos participantes e permite o seu enriquecimento pessoal e profissional», explica Adelaide Martins.

DIFERENCIADOR

Assim, o MBA para Gestores de PME da UPT destaca-se pelo corpo docente experiente e pelo formato do programa, que procura fazer face às necessidades das empresas, em particular das PME, proporcionando uma sólida preparação em competências de gestão. A componente teórica é complementada com uma forte componente prática com base no estudo de casos reais e simulações em ambiente empresarial.

Para além dos conhecimentos técnicos e científicos, os alunos do MBA para Gestores de PME desenvolvem competências ao nível da capacidade de liderança, adaptação, comunicação em situação de conflito, criatividade e inovação e networking indispensáveis para antecipar as necessidades de um mercado competitivo e em constante mutação. É um programa diferenciador, uma vez que se enquadra na realidade específica das PME, e dos desafios por elas enfrentados, constituindo aquele tipo de empresas cerca de 98% do tecido empresarial do Norte do País.

As empresas procuram profissionais dotados de flexibilidade e competências técnicas e pessoais compatíveis com as necessidades e os desafios colocados por um mercado global, competitivo e em constante mutação. «A realização de um MBA permite o estudo de novas praticas e experiências empresariais, potenciando uma abordagem inovadora e profissional à gestão das empresas. As PME, em particular, atendendo à limitação nos seus recursos, procuram colaboradores polivalentes capazes de lidar com sucesso com os diferentes cenários e problemas nas diversas áreas da gestão (ao nível económico-financeiro, do relacionamento com clientes, da logística, entre outros)», acrescenta Adelaide Martins. O papel de um executivo não se esgota em competências técnicas.

Cada vez mais, as competências genéricas relacionadas como a comunicação, a motivação, a liderança e a criatividade são factores diferenciadores no sucesso de um negócio e promotoras de empregabilidade. «Os profissionais que possuam essas competências terão certamente maior probabilidade de virem a ser procurados pelas empresas, pelo que o MBA para Gestores de PME da UPT constitui certamente uma boa escolha», sublinha a coordenadora do MBA para Gestores de PME.

Deste modo, a formação é sem dúvida um investimento estratégico. Em qualquer negócio, a formação para executivos deve ser parte integrante de uma estratégia para fazer face à incerteza e à mudança. A evolução constante do mercado exige executivos preparados para enfrentar novos desafios e ser capazes de antecipar as mudanças. A aposta na melhoria contínua das competências dos executivos assume-se como um factor crítico de sucesso, e traduz-se em maiores níveis de produção e de criação de valor nas empresas.

«A criação de valor é o objectivo principal da gestão e, hoje, mais do que nunca, é indissociável do conhecimento sobre os instrumentos e os processos de gestão», conclui Adelaide Martins.

FUTURO

Sobre os desafios para 2020 no âmbito da Formação de Executivos, a UPT tem como objectivo «alargar a dimensão da actividade, principalmente nas áreas da gestão, do património e hospitalidade, do direito, do marketing e da psicologia social, particularmente incluindo nessas formações as vertentes das competências digitais e das capacidades interpessoais», afirma Sebastião Feyo de Azevedo, reitor da UPT. Nesse sentido, adequar a formação às preocupações dos líderes passa por «entender os principais desafios que se colocam às empresas e às organizações em geral, privilegiando o diálogo institucional.

E percebendo a necessidade de fomentar a ligação ao nível das três vertentes da missão das universidades – Ensino; Investigação; Transferência de conhecimento», acrescenta o reitor. Em relação ao tema do Employer Branding, é fundamental «encarar os colaboradores (docentes e não docentes) como actores essenciais para a prossecução da missão da universidade: trabalhando para perceber as suas necessidades e expectativas; desenvolvendo uma estratégia de comunicação interna; criando um mantra da marca UPT; gerindo a relação com a marca UPT, quer numa vertente funcional quer emocional; e comunicando de forma clara, simples e frequente», explica Carlos Brito, vice-reitor da UPT.

As prioridades da UPT para este ano passam por dar uma resposta de grande visão do futuro à emergência associada à pandemia que se abateu sobre o Mundo. Reforçar o prestígio da marca UPT junto dos principais stakeholders enquanto IES de excelência que procura ser vista como «uma instituição global reconhecida pela qualidade nas diferentes dimensões da sua actividade: investigação, ensino e transferência de conhecimento. Procura, para isso, dispor dos recursos humanos com as mais elevadas qualificações e visa um público-alvo não apenas português, mas de todas as partes do mundo», diz Sebastião Feyo de Azevedo. E também reforçar a ligação aos Alumni, percebidos como elementos fundamentais para o fortalecimento da Alma Mater da UPT.

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...