Um economista entra num bordel…

Um economista não é útil apenas para debater os desafios de um país ou sociedade. O seu conhecimento e experiência também podem ser válidos para ajudar a resolver problemas do quotidiano: saber com quantas horas de antecedência se deve estar no aeroporto e se é mais arriscado fazer um filme de acção ou de terror são apenas alguns exemplos dados por Allison Schrager, autora de “An Economist Walks into a Brothel”.

Economista de formação e vencedora de prémios de jornalismo, Allison Schrager passou a sua carreira a examinar como as pessoas gerem o risco, tanto nas suas vidas pessoais como profissionais. Agora, transpõem os resultados a que chegou para as páginas de um livro em que explica como medir o risco e maximizar as hipóteses de conquistarmos tudo aquilo que queremos na vida.

Todos corremos riscos diariamente, pequenos ou grandes. Segundo a autora, a questão não é se arriscamos ou não – isso é inevitável – mas, sim, quando e que riscos. No seu novo livro, Allison Schrager explora também, por exemplo, se vale a pena nadar num mar repleto de tubarões para conquistar um novo recorde ou se os profissionais da indústria do sexo devem abdicar de 50% do seu rendimento para terem mais segurança ou se devem arriscar e manter esse dinheiro extra.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
178 restaurantes juntam-se à Rota de Tapas Estrella Damm
Automonitor
Hyundai inicia testes de condução autónoma nível 4