Zome: solução inovadora

EXECUTIVE DIGEST CONTENTS

Esta ferramenta, Zome Now, permite uma abordagem muito mais rápida e totalmente digital ao mercado imobiliário.

Zome Now é um serviço inovador de compra e reserva online de imóveis, com processos muito simples e rápidos. Era uma solução que já estava a ser trabalhada pela Zome há vários meses e que decidiu lançar numa versão beta, como resposta imediata à pandemia COVID-19 que afecta o planeta, por forma a garantir que os negócios imobiliários continuam a realizar-se.

A verdade é que no primeiro mês online (de 6 de Abril a 4 de Maio), e em pleno Estado de Emergência, concretizaram negócios no valor de 6,4 milhões de euros, via Zome Now, aproximadamente 27% do volume total de negócios realizados pela Zome nesse período, valores que consideram excelentes, tendo em conta a conjuntura actual e tratar-se de uma ferramenta disruptiva e inédita no mercado nacional.

Esta ferramenta basicamente permite uma abordagem muito mais rápida e totalmente digital ao mercado imobiliário, dando a possibilidade de fechar negócios em tempo recorde e com uma distância meramente virtual, visto que todo o processo tem o acompanhamento muito próximo dos consultores. «O tempo médio de negócio, entre submeter uma proposta/fazer uma reserva e assinar o contrato-promessa de compra e venda (CPCV) cifrou-se entre as 48 e as 72 horas.

Além disso, o nosso website disponibiliza uma série de ferramentas, como imagens 360 graus, vídeovisitas ou experiências/ vistas de realidade virtual, entre outras hipóteses, que possibilitam um conhecimento do imóvel em questão, quase como se o visitássemos in loco», explica Patrícia Santos, CEO da Zome.

O Zome Now assenta em duas grandes modalidades: Proposta de Compra e Reserva Directa (pelo valor de venda do imóvel). No caso da Proposta, esta é submetida e, caso seja aceite pelo proprietário, são recolhidos os dados do potencial comprador. Se for necessário recurso a crédito à habitação é elaborada uma ficha financeira, sempre com acompanhamento remoto de um intermediário de crédito da Zome.

Logo que haja luz verde para avançar, deverá ser feito um depósito de 2500 euros que garante a realização do CPCV no prazo de um dia útil. No caso da Reserva Directa, o procedimento avança de imediato para a fase de pagamento do depósito. Neste processo, as Propostas de Compra ou Reservas Directas são validadas através do envio de um código SMS para o proponente, de forma a aumentar o nível de segurança da ferramenta.

Assim, será sempre solicitado um número de telefone, para onde será enviado um código, que deverá posteriormente ser inserido no Zome Now, para autenticar o processo de proposta/ reserva. Todo este processo está em conformidade com o RGPD. FUTURO O Zome Now será ainda mais completo no futuro, uma vez que continua em constante desenvolvimento.

Muito em breve terá novas funcionalidades, com a interacção, envio e devolução de documentos e registo de todo o histórico a decorrer numa área de acesso privado de cada cliente. «O processo começa antes, quer através da qualificação dos clientes, com contactos feitos remotamente por consultores quer pelas visitas virtuais, e continua com o tratamento de toda a burocracia associada à transacção a ser feita de forma digital, o que inclui a interacção com os intermediários de crédito, caso assim seja necessário.

Para potenciar a utilização dos canais digitais e retirar todos os obstáculos do caminho, alguns hubs da Zome estão a oferecer um leitor de cartão de cidadão a qualquer cliente que necessite de assinar um contrato de mediação imobiliária ou CPCV e não tenha ainda activa a sua assinatura digital ou chave móvel digital, desde que possua os códigos de assinatura que recebeu ao fazer o Cartão de Cidadão», diz Patrícia Santos.

A solução foi lançada agora como resposta à pandemia mundial. E depois quando a situação acalmar, continuará a ser uma boa solução? Para a responsável da Zome, este serviço inovador continuará a ser tão válido como é agora e a prova disso mesmo são os negócios que fecharam com clientes de mercados estrangeiros, via Zome Now. «Fechámos dois negócios com clientes nos EUA, um no Brasil e um no Reino Unido. Eram clientes que mesmo num contexto normal não se deslocariam a Portugal propositadamente para fazer o negócio, mas encontraram no Zome Now uma forma mais rápida, simples e directa.

«No primeiro mês online (de 6 de Abril a 4 de Maio), e em pleno Estado de Emergência, concretizaram negócios no valor de 6,4 milhões de euros, via Zome Now acelerar e concluir o processo de negociação imobiliária.»

A aposta na tecnologia tem sido o maior desafio, porque é o que permite o acompanhamento mais próximo ao cliente, ou seja, aquilo que mais diferencia a Zome no mercado. «Daí contarmos com uma equipa de desenvolvimento permanente de novas tecnologias e termos em pipeline várias inovações ainda para 2020. Por outro lado, a formação de base neurocientífica dos nossos consultores é outro pilar em que assenta o nosso sucesso e que define a nossa forma de estar e agir.

Somos uma empresa de pessoas para pessoas e o nosso foco é precisamente esse. A inovação tecnológica que a Zome está a injectar no mercado imobiliário tem o condão de humanizar relações e não o contrário, como muitas vezes se teme. Estimula o tratamento personalizado, capaz de dar respostas rápidas e assertivas aos desafios únicos que cada cliente coloca e, dessa forma, gera transparência, empatia e segurança, garantindo o acompanhamento não invasivo que todos gostamos de ter num processo tão marcante como costuma ser o de compra e venda de um imóvel. Mais acompanhamento, maior simplicidade de processos e, consequentemente, mais felicidade», acrescenta a CEO da Zome.

RECUPERAÇÃO

Em relação às pespectivas para 2020, sendo a casa um bem essencial e algo que nunca antes as pessoas deram tanto valor, a Zome está optimista quanto à recuperação do sector. «Mesmo sendo possível tecnicamente fazer negócio sem contacto presencial, esta nova forma de mediação imobiliária requer uma adaptação do mercado, como qualquer processo de transformação requer tempo», refere Patrícia Santos.

A Zome acredita que o último trimestre de 2020 já será mais positivo, pela natural adaptação do mercado às novas metodologias e pela consciencialização das pessoas que não podem colocar a vida em standby devido a esta nova realidade, dado que ela irá perdurar algum tempo. Na análise de Patrícia Santos, o sector imobiliário poderá dar a volta a esta situação difícil com soluções inovadoras como esta que a Zome apresentou e uma capacidade de adaptação às necessidades dos clientes.

«Até que exista uma vacina acreditamos que os negócios devem continuar a ser feitos com o menor contacto presencial possível, até porque estamos totalmente preparados para o fazer dessa forma, e só assim contribuiremos para a estabilidade do controlo desta pandemia, minimizando o impacto económico da mesma.

Após este período de adaptação a uma nova forma de trabalhar, mesmo depois de controlar a pandemia, estamos confiantes que não só novos hábitos estarão instalados como será feita a reflexão dos ganhos dos mesmos. Sendo nós seres de hábitos estamos confiantes que as novas metodologias que estão a contribuir para uma maior eficiência do nosso trabalho se vão manter e o sector vai continuar pujante», conclui.

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...