Vollebak: sonho de grafeno

Por 615 euros, é possível experimentar o casaco do futuro.

Por Jesus Diaz, colaborador da Fast Company

A empresa londrina de vestuário Vollebak é conhecida pela inovação técnica. O seu último feito foi criar um casaco a partir do chamado “material milagre”: ou seja, grafeno. Esta forma fina, forte e versátil de grafite consegue conduzir calor e electricidade – propriedades que podem revolucionar tudo, do sector aeroespacial à medicina. «O grafeno continua a ser um material extremamente difícil de trabalhar, incrivelmente dispendioso de produzir e difícil de criar em grandes quantidades», afirma Steve Tidball, co-fundador da Vollebak. «Há dois anos teria sido impossível criar este casaco.»

O casaco mineral

A Vollebak trabalhou com uma equipa de cientistas externos à empresa para transformar grafite em bruto em pilhas de grafeno que se misturam com poliuretano para criar uma membrana. Isto foi depois ligado a nylon para formar o material bilateral do casaco. A empresa cortou com laser os painéis reversíveis e colou-os para usar o máximo deste material dispendioso.

Propriedades mágicas

Graças à sua estrutura molecular hexagonal, o grafeno pode conduzir calor de formas invulgares. A Vollebak revela que o casaco aproveitará o calor do corpo para igualar a temperatura e funcionar como se fosse um radiador, armazenando calor de outras fontes. O material impede a proliferação de bactérias e dispersa a humidade.

Um carregador que se pode vestir

O casaco, considerado um protótipo pela Vollebak, aproveita a capacidade natural do grafeno para conduzir electricidade, mas a empresa espera que seja possível encontrar formas de fazer com que, por exemplo, carregue um telemóvel ao colocá-lo no bolso. A empresa deseja um dia lançar uma versão aperfeiçoada do casaco.

OUTRAS INOVAÇÕES LIGADAS AO GRAFENO

Rodas indestrutíveis – A Küschall, uma fabricante de cadeiras de rodas, tem vindo a utilizar grafeno para criar uma cadeira que é 30% mais leve e 20% mais resistente que as habituais, de carbono;

Asas mais leves – Os engenheiros da Universidade de Central Lancashire desenvol- veram um protótipo de um avião coberto de grafeno para redu- zir o seu peso;

Baterias melhores – As baterias de grafeno podem, também, diminuir o tempo de carga para os veículos eléctricos, passando das actuais horas para apenas cinco minutos.

Este artigo foi publicado na edição de Dezembro de 2018 da Executive Digest.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Domino’s Pizza vai deixar quatro mercados europeus
Automonitor
Primeiro Porsche 911: Uma obra-prima alemã