pub

Uma marca próxima dos portugueses

Prestes a completar 500 anos de história, os CTT têm sabido reinventar-se, responder aos desafios e adaptar o seu modelo de negócio à evolução da tecnologia e do mercado, mantendo a proximidade das populações e a capilaridade da rede. O que caracteriza uma empresa de sucesso? Para Miguel Salema Garção, director de Marca e Comunicação dos CTT: «Uma empresa de sucesso é aquela que cumpre a sua missão, visão e valores, contribuindo para a valorização das pessoas, satisfação das necessidades do mercado onde está inserida, com capacidade empreendedora e de inovação e criando valor aos seus accionistas.»

Uma empresa de sucesso também passa pelo capital de confiança que tem a marca CTT. Globalmente reconhecidos como um dos melhores operadores postais do mundo, os CTT pautam a sua acção por um conjunto de valores de que se destacam, enumera Miguel Salema Garção: «orientação para o cliente, satisfazendo as suas necessidades e contribuir para o sucesso do seu negócio; entusiasmo, trabalhando em equipa com empenho e paixão para vencer os desafios; confiança, sendo um parceiro íntegro que cumpre os compromissos assumidos; excelência, fazendo sempre melhor para garantir serviços de qualidade e inovação, desenvolvendo continuadamente novos processos e soluções.

Valores que são defendidos diariamente pelos mais de 12 mil guardiões da marca, que protagonizam, com profissionalismo e dedicação, a ligação dos CTT aos portugueses», reforça. Estes valores funcionam como vantagens competitivas para a empresa, expressas nas várias distinções nacionais e internacionais de que os CTT foram alvo em 2018, de que são exemplos distinções como o “Industry Leadership 2018”, onde Francisco de Lacerda, presidente-executivo dos CTT, foi distinguido no evento International World Post & Parcel Awards 2018, em Londres.

Na cerimónia de entrega do galardão, o presidente-executivo dos CTT afirmou que «este prémio é também o reconhecimento do trabalho dos 12 mil colaboradores que, com o seu esforço e compromisso, contribuem todos os dias para a transformação dos CTT, criando as fundações para um futuro que acreditamos ser de sucesso: uma empresa moderna, baseada no digital, sustentável e competitiva; uma empresa com os olhos postos no futuro, sem esquecer a herança do seu passado». Os CTT foram também considerados a Marca de Maior Reputação do PSI 20, segundo o estudo realizado pela consultora OnStrategy; Marca de Confiança Readers’ Digest pela 15.ª vez, com o 1.º lugar na categoria “Serviços de Correio e Logística”, com 89% dos votos. A CTT Expresso foi distinguida no Prémio Masters da Distribuição 2018 e venceu a categoria Master Operação Logística, atribuído pela revista Distribuição Hoje e IFE by Abilways.

Já o Banco CTT recebeu o Prémio ECSI Portugal, tendo sido eleito o Banco n.º 1 na satisfação dos clientes em Portugal, de acordo com os resultados de 2018 do Índice Nacional de Satisfação do Cliente. Além disso, a empresa foi premiada com o Óscar da Filatelia, o Prémio Internacional de Arte Filatélica de Asiago para a emissão dedicada à visita do Papa Francisco I a Fátima. DESAFIO DA DIGITALIZAÇÃO A digitalização da sociedade e a quarta revolução industrial apresentam-se como desafios para os CTT mas também como oportunidades. Apesar do correio tradicional ainda representar uma parte relevante da actividade, a estratégia definida, e que está a ser implementada há vários anos, passa pela diversificação do negócio, através do Expresso & Encomendas e do Banco CTT. Com a vertente digital em vista, os CTT apostaram no aumento da oferta das soluções de comunicação através da oferta CTT Ads.

Aos mais tradicionais Direct Mail, Drop Mail, E-mail e SMS, a CTT Ads junta agora os Brindes Publicitários para ajudar as empresas a fazer crescer os seus negócios. Nas soluções de distribuição e logística, e mais especificamente no Expresso & Encomendas foram desenvolvidas inúmeras iniciativas que visam, essencialmente, o crescimento de negócios de e-commerce, através de ofertas como os Cacifos Automáticos, o Express2Me, o CTT e-Segue ou um acordo com a China Post para a criação do e-Paket, um novo serviço para satisfazer as necessidades específicas do e-commerce. Também o Banco CTT tem sentido um forte crescimento e os números falam por si. Mais de 350 mil clientes, uma carteira superior a 130 milhões de euros no crédito à habitação, a colocação de 57 mil cartões de crédito e a intermediação de crédito pessoal e automóvel, em parceria com a Cetelem. O objectivo, disse recentemente em entrevista à Antena 1 e Jornal de Negócios o presidente-executivo do Banco CTT, Luís Pereira Coutinho, é chegar a meio milhão de clientes no primeiro trimestre.

Em breve será também disponibilizada a abertura de conta em todas as lojas CTT, independentemente de terem ou não um balcão do Banco e já é possível a abertura de contas e a simulação de crédito à habitação. No prosseguimento da sua estratégia de consolidação e crescimento, o Banco CTT adquiriu a 321 Crédito, a quarta maior empresa especializada em conceder crédito para a compra de automóveis usados, que permite a diversificação do portefólio de produtos e optimizar o Balanço do Banco CTT, melhorando o seu rácio de transformação de 20% para mais de 60%. Com esta transacção e crescimento orgânico, o Banco CTT espera contribuir positivamente para o EBITDA dos CTT já em 2019 e atingir um resultado líquido positivo em 2020, com requisitos estimados de capital adicional até essa data de cerca de 20 M€, para além do aumento de capital necessário para financiar o preço final da aquisição.

A transacção está também alinhada com a estratégia dos CTT, reforçando o compromisso com a diversificação do seu negócio, através da aposta estratégica no crescimento do Banco CTT e mantendo capacidade para continuar a investir em futuras oportunidades de crescimento noutros segmentos de negócio, como o Expresso & Encomendas, explicou a empresa, em comunicado, quando anunciou a aquisição. OLHOS POSTOS NO FUTURO Nesta preparação para o futuro, a rede base do negócio tradicional, contudo, não é descurada. A empresa anunciou, em meados de Outubro, um investimento de 40 milhões de euros na rede postal e logística, no âmbito do Plano de Modernização e Investimento, que estará em curso nos próximos dois anos e visa a melhoria da eficiência e qualidade de serviço do negócio postal, assegurando o Serviço Postal Universal num quadro de quebra forte e continuada dos volumes de correspondência.

Francisco de Lacerda, presidente-executivo dos CTT, afirmou em comunicado que «o Plano de Modernização e Investimento representa um investimento ímpar que prepara os CTT para o futuro. Estamos a modernizar uma infraestrutura que foi desenhada há 30 anos, para responder às novas exigências do sector postal, continuar a potenciar a qualidade e melhorar as condições de trabalho, reforçando o importante papel dos nossos carteiros como elo de ligação às comunidades locais. A nova vaga de mecanização, a nova organização da rede e o uso de ferramentas avançadas vai permitir melhorar a eficiência e eficácia da rede postal».

Além das iniciativas levadas a cabo para a diversificação do negócio os CTT têm tido uma forte preocupação com a sustentabilidade. Os CTT disponibilizam no portefólio ofertas carbonicamente neutras, como é o caso do Correio Verde e do DM Eco. A empresa é também pioneira em Portugal na utilização de electricidade 100% renovável em todos os consumos e tem uma das maiores frotas eléctricas do País, com 353 veículos 100% eléctricos. Actualmente, cerca de 10% da frota dos CTT é movida a combustível não fóssil. No âmbito destas iniciativas, a empresa avançou com uma parceria com a startup UOU Mobility no projecto VEDUR, um veículo 100% eléctrico destinado a entregas em ambiente urbano. Até ao final do ano, os CTT vão ter 12 destes veículos, que na gíria interna ficaram conhecidos por “ovo”.

Esta proximidade às novas empresas está bem expressa no lançamento da nova marca do programa de aproximação a startups. Este programa, em curso há vários anos, visa abrir as portas dos CTT ao respectivo ecossistema, procurando projectos que se enquadrem no negócio do sector postal, potenciando áreas de colaboração conjunta e disponibilizando possíveis benefícios para as startups, segundo anunciou a empresa.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...