Transformar experiência em valor

Vivem-se tempos desafiantes na área do retalho. O modelo tradicional, em lojas físicas, está em fase de transição e há convergência de tendências que, em conjunto, estão a transformar o imobiliário de retalho. «Por um lado, a utilização generalizada da tecnologia móvel já afectou o sector do retalho, e deverá transformá-lo ainda mais, ao mesmo tempo, o crescimento do comércio electrónico está a redefinir o espaço físico do retalho.

Por outro lado, a procura dos consumidores está em constante mutação e o sector tem de acompanhar esta (r)evolução. Por isso, proprietários, lojistas e promotores de activos de retalho imobiliário têm de lidar com um mercado ultracompetitivo e com esta (r)evolução, o que representa oportunidades entusiasmantes e desafios complexos, sobretudo, para investidores», refere fonte oficial da Sonae Sierra. «Para prosperar, os centros comerciais têm de se tornar cada vez mais destinos de experiência, locais para socializar e para o lazer, e não apenas para compras.

Além disso, estão sob maior pressão para atrair e reter clientes, para apresentar uma oferta comercial diversificada e dinâmica e proporcionar novas experiências», acrescenta. Para se adaptarem a esta evolução, é fundamental compreender o mercado e as entidades envolvidas, bem como as interacções complexas que nele ocorrem e saber como agir neste contexto. É esta uma das fórmulas de sucesso da Sonae Sierra.

Portanto, a vantagem competitiva tem residido na capacidade de se antecipar, compreender e de se adaptar, para dar resposta a estes desafios e às necessidades dos consumidores, que estão em constante evolução, para criar e gerir activos de elevado valor.

KNOW-HOW INTERNACIONAL

Com uma forte presença internacional e uma visão de líder em muitos mercados, a empresa conta com equipas multidisciplinares que oferecem uma consultoria especializada focada na criação de valor acrescentado com base em resultados accionáveis. É uma empresa internacional com escritórios em 11 países, fornecendo serviços em geografias tão diversas como Portugal, Argélia, Colômbia, Eslováquia, Grécia, Marrocos, Roménia ou Rússia.

A Sonae Sierra é proprietária de 42 centros comerciais com um valor de mercado de cerca de 7 mil milhões de euros, gere/comercializa 92 centros comerciais com uma área bruta locável de cerca de 3 milhões de m2 e mais de 9500 contratos com lojistas. Tem 11 projectos em desenvolvimento, dos quais 6 são para clientes. O know-how e a experiência acumulada da área de Market Intelligence, permitem fornecer perspectivas poderosas sobre os riscos e as oportunidades que condicionarão o sucesso do desenvolvimento e da gestão de activos imobiliários de retalho.

Dados de qualidade relativos a áreas de influência, à concorrência e à definição de perfis de consumidores podem conduzir a uma tomada de decisão mais eficaz em relação a uma série de factores, como o posicionamento global do activo, a localização, as marcas, o tamanho das lojas e a oferta comercial.

«Tudo isto permitirá adaptar e criar activos que satisfaçam as expectativas e necessidades dos consumidores, reduzir fortemente o risco do negócio e ajudar na tomada de decisão sobre o investimento aplicando-o onde terá o resultado mais eficaz em cada fase do projecto, fornecendo directrizes em áreas críticas como a arquitectura e o design, o mar- keting ou a comercialização, ajudando a determinar a oferta comercial ideal para maximizar o tráfego de visitantes e as vendas, de forma a acrescentar valor significativo ao produto final, com o menor investimento».

A Sonae Sierra desenvolve uma actividade de promotor, proprietário, gestor e prestador de serviços de imobiliário de retalho, o que lhe confere uma perspectiva 360 graus sobre todos os elementos do ciclo de vida dos activos, o que a posiciona como o parceiro de eleição para apoiar investidores na tomada de decisões de investimento informadas e ajudar os clientes a enfrentar os desafios do imobiliário de retalho.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Domino’s Pizza vai deixar quatro mercados europeus
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo