pub

Intermarché: relação de proximidade

O Intermarché é a insígnia alimentar que integra o Grupo Os Mosqueteiros, grupo de empresários independentes com 4011 pontos de venda na Europa e um volume de negócios de 44,5 mil milhões. Foi também a primeira a chegar a Portugal, há 28 anos. Com 323 lojas, é uma história de sucesso.

O Intermarché é a primeira insígnia do Grupo Os Mosqueteiros, actuando há mais de 50 anos por toda a Europa. Como descreve a insígnia em Portugal?

Somos, desde a nossa génese, um Grupo composto por empresários independentes com raízes locais, gerimos as nossas lojas de forma autónoma e conhecemos a localidade o que ajuda a responder melhor aos nossos clientes. Os gestores têm com os seus clientes uma relação de proximidade, que apenas o comércio mais tradicional pode igualar. Esta pertença local faz com que os próprios aderentes possam antecipar as necessidades dos seus clientes e adoptar as soluções que consideram mais adequadas. O que melhor nos define e diferencia é o facto de sermos um grande Grupo combinado com chefes de empresa envolvidos localmente para adaptar os seus pontos de venda e auxiliados por um modelo de negócio que promove a independência. O facto de ser possível desenvolver diferentes formatos de acordo com as necessidades de cada região, cidade ou bairro e do Grupo ser gerido por e para os membros, garante uma resposta directa às necessidades dos pontos de venda.

Qual é a estratégia neste mercado?

A estratégia passa por aumentar os m2 das três insígnias presentes no nosso mercado – Intermarché, Bricomarché e Roady. Para isso delineámos um plano de expansão do nosso parque de lojas que até 2023 prevê abrir mais 105, o que se irá traduzir em 3150 novos postos de trabalho num investimento na ordem dos 200 milhões de euros. Este plano irá possibilitar a criação de um elevado número de postos de emprego locais, além de promover o empreendedorismo. O que significa que estaremos a contribuir para o desenvolvimento da economia e a dinamizar a nossa relação comercial com os parceiros e fornecedores. Também o investimento no nosso aparelho logístico será uma constante nos próximos anos. Recentemente investimos na ordem dos 11 milhões de euros no alargamento e modernização da base de Alcanena e está previsto para 2020 cerca de 3,5 milhões de euros num projecto de expansão da base logística de Cantanhede. Mas, muitos outros projectos vitais estão em curso, como a modernização da área de temperatura dirigida na base em Paços de Ferreira, ou soluções de mecanização de processos. Outro pilar estratégico das operações logísticas prende-se com a transformação digital, já em curso há uns anos. Não podemos também esquecer as preocupações ambientais, estando prevista a transformação da nossa frota de pesados para GNV – Gás natural veicular, num processo que está a ser ultimado e que brevemente irá conhecer a luz do dia.

São quantas lojas? Quais as zonas/ regiões de maior potencial?

No total são 323 lojas. Deste número 250 pertencem ao Intermarché, 40
ao Bricomarché e 33 aos centros-auto Roady. Não existem regiões identificadas como prioritárias. As decisões relacionadas com a localização do ponto de venda não são estáticas e não estão fechadas, pelo contrário necessitam sempre de profunda análise à oportunidade que é apresentada e ao que sentimos serem as necessidades dos clientes nessa região específica.

O Intermarché investiu 200 milhões de euros para a abertura de 105 lojas e a criação de 3150 postos de trabalho até 2023. Qual é o plano de expansão?

O investimento não é da insígnia alimentar, mas do Grupo. Em 2018 abrimos nove lojas. Estas aberturas implicaram um investimento de aproximadamente 30 milhões de euros. O nosso plano é de prosseguir e intensificar o ritmo.

Qual é a quota de mercado?

Apesar dos desafios que o sector do retalho enfrentou ao longo de 2019, as nossas marcas mantêm quotas de mercado significativas nos seus mercados, o Intermarché mantém uma quota de mercado que representa 9,16%, Roady 40% e Bricomarché 13,7%.

Qual a percentagem de unidades próprias e franchisadas?

Todas as nossas unidades pertencem a empresários, os aderentes, que são autónomos na gestão e administração. Assumem uma dupla função: o empresário detém e dirige a sua empresa – uma loja – e ocupa um cargo nas estruturas a montante. São, de facto, os próprios aderentes que definem a estratégia do Grupo, ao dedicar 1/3 do seu tempo ao serviço da empresa. Cada um acaba assim por ser servido por estruturas que ele próprio também dirige. Esta proximidade entre os centros de decisão estratégica e o consumidor final constitui uma das grandes vantagens do sistema. Os donos de loja vivem nas localidades onde têm o seu negócio, pagam os seus impostos e contribuem de forma activa para a economia regional.

Quais são os factores críticos de sucesso e as forças diferenciadoras do Intermarché?

A insígnia tem um verdadeiro know- -how, um conhecimento fundamental que é transmitido aos empresários. Desenvolve ainda conceitos de proximidade como o discount, que na procura do melhor preço, é um dos seus fundamentos e prova do sucesso junto dos clientes.

Qual o volume de facturação? E quanto tencionam crescer?

Em 2018, o Grupo Os Mosqueteiros apresentou a nível nacional um volume de negócios de 2,2 mil milhões de euros. Um número que significa um crescimento de 10% face ao ano anterior. Trabalhamos diariamente para manter um crescimento a dois dígitos.

Que razões é que apresenta para se ser franchisado Intermarché?

O modelo de franchising do grupo transforma o investimento do empresário em riqueza através da capitalização do seu desempenho. O modelo representa ainda vantagens para o cliente, que tem acesso a produtos que respondem às suas necessidades, uma vez que os aderentes têm autonomia local. Do lado do aderente este modelo económico permite autonomia na administração do seu negócio e a certeza de um envolvimento permanente do próprio na gestão da insígnia, o que aumenta o grau de compromisso do empresário com a marca, uma relação que tem resultados positivos para os dois lados. Este é um modelo único do sector da grande distribuição e que se distingue por ser um modelo de gestão de empresa colectivo que garante o pragmatismo na gestão.

O que é preciso para ser franchisado?

As condições de adesão ao Grupo, válidas para qualquer uma das insígnias, passam por ter disponibilidade de capital, estar motivado a criar o seu próprio negócio e ser uma pessoa dinâmica, ter boa capacidade de gestão e liderança, não exercer outra actividade profissional, ter disponibilidade geográfica e disponibilidade para uma formação a tempo inteiro de seis meses. O capital necessário para integrar o grupo é de 200.000 euros para Intermarché, 105.000 euros para Bricomarché e 75.000 euros para Roady.

E que benefícios?

Para o empresário a entrada no Grupo significa a oportunidade de desenvolvimento da sua própria empresa. O ponto de venda permite garantir o seu rendimento e capitalizar o seu negócio.

Há grandes desafios no mercado?

O negócio da distribuição é muito atractivo para os empresários e o nosso modelo é único. Temos 105 lojas em pipeline e precisamos de casais empreendedores para darem corpo a esta expansão. O apoio do Grupo é total. Contudo e apesar do sucesso comprovado d’ Os Mosqueteiros, o maior Grupo multi-insígnia da Europa, é difícil acompanhar o ritmo de aberturas com a incorporação de aderentes.

Qual o balanço da actividade de franchising em Portugal?

A evolução da actividade tem sido positiva. Da nossa análise do mercado podemos concluir que esta boa fase está relacionada com a continuação do crescimento do consumo interno e com o optimismo económico que se instalou depois da crise. Os empresários portugueses continuam a valorizar o franchising como opção para a expansão dos seus negócios, uma vez que encontram neste modelo uma oportunidade de se profissionalizarem com a ajuda de uma estrutura coesa.

Como se está a comportar o merca- do de franchising no sector alimen- tar em Portugal? E no Mundo?

No total, o Grupo Os Mosqueteiros tem pontos de venda distribuídos por quatro países: França, Portugal, Polónia e Bélgica, o que significa que somos o maior Grupo multi-insígnia da Europa. O mercado de franchising é nestas geografias um mercado já maduro, com um elevado grau de permeabilidade e aceitação do modelo de negócio, algo que está visível no número de pontos de venda: quatro mil distribuídos pelas quatro localizações.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...