Randstad Insight: 99,18% até 2020

Por José Miguel Leonardo | CEO Randstad Portugal

Este é sempre o desafio. Começar um novo ano, não do princípio, mas recomeçar, gerir expectativas, manter o que é excelente, ultrapassar o que é bom e contrariar as adversidades. Acordar a motivação, treinar a criatividade e viver todos os dias como se fossem o último, mas acreditando que há amanhã e garantindo que o futuro também está lá.

Se o recomeçar é visto como uma oportunidade de ser ainda melhor, de ser ainda mais feliz, nunca como hoje tentamos eliminar o desconhecido e viver antes do tempo. O desconhecido que vamos procurando conhecer de uma forma cada vez mais exacta, onde entram algoritmos e inteligência artificial, procurando que as empresas e os negócios sejam ainda mais inteligentes e que o incerto fique cada vez mais certo. Mesmo sabendo que o erro não se elimina, vamos prever o amanhã, para que sejamos mais rápidos a responder e, até, para que tenhamos também uma resposta.

Sem necessidade de recorrer a nenhum algoritmo, sabemos que em 2019 a tão falada transformação de 2018 vai continuar. Não a destruir, mas a construir novas realidades, novas formas de nos relacionarmos. Há trabalhos que vão desaparecer, mais máquinas serão criadas, os robots estarão (ainda mais) nas nossas empresas e nas nossas casas, mas são as pessoas que vão continuar a ter o papel principal. E são também as pessoas o maior desafio. Os líderes que assumem o destino de grandes potências, os novos e os velhos, que serão maestros de um desejado equilíbrio e estabilidade mundial. A importância da democracia e dos acordos para que a harmonia impere, assim como o bom senso.

Por cá, a subida do salário mínimo já aconteceu, mas prevê-se que a “geringonça” continue a ter de lidar com greves e manifestações. A bolha da especulação imobiliária e do endividamento fazem lembrar outros tempos mais amargos e esperam-se medidas para acalmar este excesso de consumismo ou, melhor dizendo, de optimismo.

Se estes são os ventos externos, cabe-nos a nós manter a mente ágil, a capacidade de pilotar experiências e de demonstrar que Portugal é uma aposta ganha e não uma moda passageira. Estratégias concretas de atracção e retenção de talento e um programa de employer branding nacional que acompanhe o investimento e a criação de postos de trabalho no nosso País.

Sem promessas de virmos a ser o “uber” dos recursos humanos, 2019 vai ter muitas novidades. O YouPlan que revoluciona a forma de comunicar entre as empresas e os trabalhadores na gestão de horários e turnos vai ter mais funcionalidades. Uma solução de inteligência artificial vai permitir aos candidatos realizar a entrevista no horário que pretenderem, garantindo uma melhor experiência. Jogos que analisam o verdadeiro potencial dos talentos e uma ferramenta que me permite conhecer o número de profissionais de cada região, a sua situação profissional e, até, fazer previsões a três meses. Tecnologia que não substitui o valor das nossas pessoas, mas que as permite ser ainda melhores.

Vamos também estar mais perto, dar a conhecer a atractividade dos sectores para trabalhar, qual a proposta de valor e como podem desenvolver o seu employer brand. Da mesma forma, vamos nos sentar com os profissionais para analisar as principais tendências da gestão de pessoas e apresentar dados sobre rotatividade de emprego, o que move os talentos e como vêem a sua carreira profissional. Este ano, vamos também às escolas saber o que querem ser as nossas crianças e ajudar os pais nesse mesmo caminho que é feito de competências e de escolhas.

Queremos estar mais perto, partilhar cada vez mais o que sabemos, encontrar talentos, encontrar empregos, fazer esta ligação que é muito mais do que uma relação contratual. São experiências de vida, que se traduzem em conhecimento, em amigos, em momentos que não esquecemos. Queremos fazer parte da vida das pessoas e contribuir para um mundo do trabalho cada vez melhor.

Aos nossos desejos, partilho também o meu desejo de que este seja um ano marcante, com saúde e felicidade, com sucesso profissional mas com muitos momentos em família e amigos, porque é só com este equilíbrio que a vida vale mesmo a pena.

Bom ano!

Artigo publicado na Revista Executive Digest n.º 154 de Janeiro de 2019.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Domino’s Pizza vai deixar quatro mercados europeus
Automonitor
História: O dia em que o Papamóvel foi salvo