pub

O cluster da Educação!

Por Ricardo Florêncio

São troféus atrás de troféus, distinções, referências. Noutras áreas também temos tido sucessos e, como resultado, as nossas exportações têm aumentado e diversificado. Agora, há que continuar a trabalhar para que mantenhamos esta posição de relevo a nível internacional, continuando uma política e uma comunicação a enaltecer as nossas capacidades e características únicas. Mas o nosso foco deverá apontar em direcções específicas. Nem que seja por períodos. Pois não vamos conseguir chegar a tudo e a todos. Hoje gostaria de abordar o tema do cluster da Educação. É inequivocamente uma área onde podemos ser líderes e case study. Portugal tem um conjunto de caraterísticas que nos permite estar na vanguarda da escolha dos alunos internacionais. A qualidade do Ensino, das instalações, o clima, a segurança, a afectividade, a facilidade de falar várias línguas, o valor do custo de vida, colocam-nos num lugar ímpar. Podemos estar na linha da frente na escolha dos alunos universitários assim como de professores de renome. É que este cluster devidamente desenvolvido traz-nos muito mais vantagens do que as que podem ser percepcionadas numa primeira análise. Por um lado, financeiras, pois traz-nos mais receitas, mais turismo (que seja universitário). Temos mais referências a nível internacional pois os alunos farão eco das mais diversas formas do que aqui encontrarem. Por outro lado, se os alunos gostarem da experiência, é provável que fiquem por cá a trabalhar. E atendendo às guerras pelo talento e pelas competências certas, e à sua escassez, só temos a ganhar com isto. O que falta? Falta uma estratégia mais assertiva do País para desenvolver este cluster. É verdade que já se fizeram algumas iniciativas, mas tem de ser feito mais. Em conjunto, em colaboração. A atracção pelo nosso País tem de ser desenvolvida de forma global, una, apresentando Portugal como destino de eleição. Só assim teremos mais força para competir com outros. Depois, cada uma das universidades, institutos, instituições fará o seu trabalho na captação.

Editorial publicado na revista Executive Digest nº 166 de Janeiro de 2020

pub
Comentários
Loading...