pub

«O banco principal das empresas»

Considerado o banco número 1 das exportadoras, segundo o barómetro financeiro preparado pela DataE, o Millennium bcp tem vindo a apostar fortemente no apoio às exportadoras, com uma quota de mercado no segmento de empresas e negócios de exportação a subir, neste momento nos 21%.

No terreno, ao lado das exportadoras portuguesas, os problemas que persistem e para as quais é mais solicitada a ajuda do Millennium bcp são a: «capacitação, escala e associativismo.» São estas as três principais áreas que sumarizaram as necessidades que ainda persistem nas empresas portuguesas, segundo o banco.

«A diversificação de mercados é uma forma da garantir a resiliência das empresas portuguesas, e consequentemente da economia portuguesa. A exportação e a internacionalização das empresas portuguesas exigem um conhecimento aprofundado de mercados e de processos financeiros», esta é uma das grandes garantias do banco Millennium bcp, constata Diogo Lacerda, responsável da área de Trade Finance. «Estamos preparados para ser o banco dos nossos clientes nesses mercados.

Temos uma oferta adequada às necessidades das empresas com actividade internacional, disponibilizando soluções de Trade Finance que permitem apoiar a actividade internacional das empresas portuguesas, quer se trate de negócio de importação ou exportação, quer se trate de soluções de apoio à internacionalização», explica ainda.

O Millennium bcp tem complementado o posicionamento no mercado doméstico com uma presença muito focada nas geografias onde tem proximidade. Ou seja, os mercados europeus e os EUA são aqueles que, pela sua dimensão mas também pelas oportunidades que apresentam, continuam a ser os mais relevantes para o banco.

«Aumentar a quota nesses mercados tem um impacto muito relevante na dimensão do negócio internacional de Portugal. Os mercados africanos são tradicionalmente interessantes para as empresas portuguesas, com destaque para os PALOP, mas também o Magreb. Também os mercados da América do Sul, com o acordo recentemente assinado UE Mercosul, deverão aumentar o seu peso nas exportações nacionais. Numa perspectiva de mais longo prazo, olhamos com muito interesse para a Ásia, nomeadamente a China e a Índia, mas também a Coreia do Sul.»

PROPOSTA DE VALOR

O banco está empenhado na identificação de uma série de ecossistemas para adaptar a oferta às especificidades e necessidades de cada um. «O nosso objectivo é apresentar uma proposta de valor para cada um desses ecossistemas que inclua uma oferta integrada a nível de supply chain finance, incluindo soluções de Trade Finance, crédito especializado e instrumentos de apoio ao investimento entre outras dimensões que se justifiquem caso a caso», confirma o responsável da área de Trade Finance.

A título de exemplo pode-se referir o Trade Ecosystem Portugal Moçambique que foi desenvolvido em conjunto com o Millennium bimpara apoiar os clientes portugueses e moçambicanos. «A junção de sinergias entre o maior banco privado português e o maior grupo financeiro moçambicano constitui a base do que designamos por Trade Ecosystem Portugal Moçambique, que é um meio privilegiado para a dinamização de negócio», detalha Diogo Lacerda.

É neste âmbito que surge a iniciativa para lançar a Linha Millennium Portugal Moçambique, no montante de 20 milhões de euros. Através desta Linha o Millennium bcp financia as empresas participantes no Trade Ecosystem Portugal Moçambique, desde que as operações possam beneficiar de seguro de créditos ao abrigo do Sistema de Seguro de Créditos com Garantia do Estado Português (SCGE), que é gerido pela COSEC.

A implementação destes ecossistemas passa igualmente pelo desenvolvimento de uma infraes-trutura digital para possibilitar a comunicação directa entre os clientes e o banco. «Acreditamos que esta abordagem inovadora nos vai permitir conhecer e servir ainda melhor todas as empresas válidas, de uma forma ainda mais próxima e proactiva reforçando o papel do Millennium bcp como um verdadeiro parceiro de negócios dos seus clientes e sendo o Banco um enabler da sustentabilidade desses mesmos ecossistemas como banco principal das empresas», reforça o responsável da área de Trade Finance.

O Millennium bcp está apostado em trabalhar a abordagem ao mercado baseada na lógica dos ecossistemas que se afirma crescentemente no universo empresarial. «Acreditamos que os ecossistemas incorporam de forma muito fiel a dinâmica da relação actual entre as empresas, que vai para além da lógica sectorial ou da mera arrumação em cadeias de valor para retratar e estimular modelos de negócio colaborativos e escaláveis.

Os ecossistemas captam algo mais diverso e profundo do que os desenhos tradicionais de fileiras económicas: as relações estratégicas e comerciais entre empresas de diversas fileiras e clusters, em diversos mercados, que interagem entre si para cooperarem em redes de projectos e parcerias conjuntas com um objectivo comum», adianta o mesmo responsável.

Pode ainda ser referido um outro exemplo que tem sido já trabalhado, o ecossistema do hospitality. «Aqui dissecámos as várias categorias e subcategorias incluídas no seu perímetro como sejam o caso dos segmentos de acomodação, restauração e viagens num primeiro nível; e de mobiliário, cutelaria, têxteis, catering e software especializado num segundo nível (entre muitos outros clusters internos deste ecossistema).

Conseguimos desta forma ter uma percepção muito nítida da atractividade de cada ecossistema bem como das oportunidades por explorar no alinhamento entre os seus vários membros», defende ainda Diogo Lacerda.

Com vista a complementar a oferta de soluções para as empresas exportadoras portuguesas, o Millennium bcp celebrou com a COSEC – Companhia de Seguros de Crédito um protocolo para distribuição de Seguros de Crédito nas redes comercias do banco. «Com esta parceria vamos disponibilizar aos nossos clientes mais um produto financeiro que permite a gestão do risco de crédito mitigando o risco das suas vendas a crédito em Portugal, mas principalmente no exterior», conclui.

O banco colabora também com a AICEP – Agência para o Investimento e Comércio Externo de Portugal em iniciativas de capacitação às empresas. Neste âmbito o Millennium bcp tem marcado presença em vários eventos que fomentam o comércio internacional e a internacionalização.

Estas sessões dão a conhecer aos clientes as tendências e as oportunidades de diferentes mercados potenciando às empresas a identificação de oportunidades de negócio ou investimento noutros países, assim como o intercâmbio de experiências com outras empresas e potencias parceiras.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...