pub

Levar o saber mais além

Olha para a saúde como um sector em profunda diferenciação e desenvolvimento e com elevado significado económico. Não só pela criação de oportunidades de negócio e geração de riqueza, mas também pelo impacto que pode ter na melhoria da qualidade de vida dos portugueses numa perspectiva humanista e de valor social.

Assim assume-se como uma entidade de ensino «promotora e parceira no desenvolvimento de competências para a obtenção de sucesso por parte das organizações e dos profissionais na gestão das suas carreiras e ainda como um actor socialmente responsável que possa, através das suas atribuições estatutárias, contribuir para melhoria da literacia em saúde da comunidade em que nos inserimos», esclarece Margarida França, administradora Hospitalar e directora da pós-graduação Gestão na Saúde da Católica Porto Business School.

MELHORIA DA LITERACIA

O grande trunfo é a pós-graduação em Gestão na Saúde da Católica Porto Business School que se posiciona como uma experiência de capacitação, inovação e inter-relação com agentes do sector. «A complexidade do sector da Saúde exige capacidade de análise e conhecimentos que permitam ao gestor ou decisor antever cenários e saber lidar com as pressões externas do sector», conforme explica a directora da pós-graduação.

Este é um sector proeminente e em rápido desenvolvimento em Portugal, tendo registado «uma evolução notável ao longo das últimas duas décadas. E a Católica Porto Business School tem feito de tudo para o acompanhar», refere Margarida França. Explicando ainda que os principais desafios têm sido a crescente exigência dos participantes no curso que pretendem muito mais do que alargar conhecimento genérico, mas sobretudo, reforçar a sua capacitação para o exercício de funções dirigentes e para o desenvolvimento de projectos concretos na saúde.

«Entre os nossos trunfos identificamos a abertura, a dinâmica e capacidade de resposta/adaptação da Católica Porto Business School a novas solicitações do sector, bem como uma ligação muito directa ao tecido empresarial através da formação in company e de uma carteira de professores e palestrantes directamente do terreno desde gestores, médicos, enfermeiros e advogados, entre outros, num processo de ensino aberto, mas integrado com a Academia.

Em paralelo, todos os cursos são sujeitos a processos de melhoria através do seu acompanhamento, avaliação e incorporação das sugestões dos estudantes e principais stakeholders», adianta. Um marco relevante foi a obtenção do apoio institucional da Ordem dos Médicos, designadamente com o reconhecimento da atribuição da Competência em Gestão dos Serviços de Saúde, bem como o apoio da Ordem dos Farmacêuticos, Ordem dos Nutricionistas, Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares e, muito em especial, da Direcção Geral da Saúde e da Administração Central do Sistema de Saúde (ACSS).

«A ligação a estas entidades acrescenta inegável valor ao curso e contribui para a manutenção de uma rede de conhecimentos e contactos na área da gestão dos serviços de saúde», reforça a directora da pós-graduação. Destaque, ainda, para as acreditações da Equis e da Amba. «São o resultado de um processo complexo e o reconhecimento internacional de entidades independentes da qualidade do nosso ensino. Apenas 180 Escolas de Negócio em todo o mundo têm a acreditação Equis. Em Portugal, apenas três detêm esse reconhecimento e a Católica Porto Business School é a única Escola do Norte do País com a acreditação Equis.»

O curso tem registado um aumento continuado da procura nos últimos quatro anos com manifestações de interesse por parte de entidades estrangeiras, bem como alunos do Brasil e também de Angola. Acresce também o facto de o ensino ser algo incontornável na actualidade. «A maior parte dos gestores é atropelado no seu dia-a-dia por uma gestão corrente, com muito pouco espaço para fazer reflexões estratégicas.

E para um determinado nível de gestores a formação dá-lhes este espaço obriga-os a parar, obriga-os a distanciarem-se e ganharem perspectiva sobre o seu modelo de gestão. Mas, naturalmente, há um outro nível de formação, mais técnica, que consegue num ambiente informal, e dirigido por um conjunto de docentes altamente qualificados, promover a criatividade e uma consciência das melhores práticas adaptadas a determinados sectores, impactando nas decisões operacionais e estratégicas dos formandos.

Após a formação, não temos dúvidas que os participantes se sentem mais aptos para reflectirem no que toca às suas tomadas de decisão e opções, enquanto líderes de equipa, mas também de forma a contribuírem transversalmente na organização onde colaboram, pelo facto de ganharem uma visão mais actual da gestão.»

FUTURO

Católica Porto Business School está munida para imprimir grandes mudanças no ensino na área da saúde. «Desejamos, muito em especial, acompanhar a inovação das respostas da saúde e a necessidade de desenvolvimento profissional e pessoal dos profissionais numa perspectiva humanista e centrada no doente.

As mudanças que se prevêem acontecer na saúde, designadamente com o recurso a soluções que reforçam o papel do doente e dos seus cuidadores, de que são bom exemplo a hospitalização domiciliária e a telemonitorização à distância de parâmetros, respostas estas já existentes nos sectores público e privado, alteram a relação prestador-utente e exigem um novo mindset dos profissionais que nos propomos ajudar a desenvolver e capacitar», ressalva Margarida França.

O lançamento de novas ofertas na área da saúde está previsto para 2020. «Gostaríamos de alargar a oferta designadamente com acções temáticas de curta duração mais dirigidas a temas da saúde em discussão pública e relevantes para a vida em sociedade, dirigidas aos profissionais, mas igualmente ao público em geral, de forma a reforçar o papel social da Escola e contribuir para o processo de melhoria da literacia em saúde das nossas comunidades.»

Com o foco na preparação de profissionais para um mundo cada vez mais global, a Católica Porto Business School acredita que é necessário levar o saber além do espaço físico de uma escola. «Juntamos aos nossos programas a possibilidade de experienciar outras vivências através das actividades que desenvolvemos com os muitos parceiros que se aliam à nossa forma de ensinar. Para nós, as competências transversais são ferramentas basilares na formação de profissionais», chama a atenção.

Destacando o Career and Development Office, um elemento exclusivo e verdadeiramente diferenciador da escola, que trabalha com enfoque no desenvolvimento dessas mesmas competências, através de inúmeras actividades de teambuilding ou proporcionando sessões de coaching individuais. A proximidade com as empresas vai além das parcerias que estabelece.

«Com a nossa experiência e posicionamento, temos a capacidade de agir de imediato no mercado e no tecido empresarial, com iniciativas como o Design Thinking, cujos resultados ensaiados podem ser aplicados a negócios e produtos, ou através dos nossos centros de investigação aplicada, o SLab e LEAD.lab.» À importância da dimensão social, humana e ética acrescenta ainda a qualidade dos docentes, programas e métodos para uma melhor resposta à procura do saber.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...