Insolvências caem em Lisboa e sobem no Porto

Portugal registou um total de 45.386 novas empresas no ano passado, tendo as constituições aumentado 12,2% em relação a 2017. Os processos de insolvência, por seu turno, caíram 6,3% para 5.888 empresas. Contudo, a realidade é diferente quando saímos do plano geral e analisamos o cenário por cidades.

De acordo com dados da Iberinform, Lisboa e Porto são os distritos com níveis de insolvências mais elevados: 1555 e 1400, respectivamente. Na capital portuguesa, este número corresponde a um recuo de 7,6% face a 2017. Na Invicta, por outro lado, verifica-se um aumento de 5,3%.

Olhando para o resto do País, os maiores aumentos nas insolvências por distrito tiveram lugar em Angra do Heroísmo (mais 90% do que em 2017), Horta (60%), Guarda (37,3%), Castelo Branco (20%) e Faro (14,1%). Em sentido inverso, os distritos que mais viram as insolvências cair foram Portalegre, Madeira, Setúbal, Évora, Viseu e Leiria.

Telecomunicações, Comércio e Retalho, Hotelaria e Restauração, Transportes, Construções e Obras Públicas e Comércio de Veículos foram os sectores com menos insolvências. Indústria Extractiva, Electricidade, Gás e Água e Comércio por Grosso foram os sectores com mais.

No que respeita as constituições, Lisboa foi o distrito que mais novas empresas somou em 2018, seguido pelo Porto, Setúbal, Braga e Faro. Apenas seis distrito apresentaram uma diminuição no número de novas empresas constituídas, sendo que Horta, Bragança e Portalegre foram os que mais se destacaram.

Quanto aos sectores de actividade, Transportes foi o que mais aumentou, seguido pela Indústria Extractiva, Electricidade, Gás e Água, Construções e Obras Públicas e, ainda, Comércio de Veículos. Apenas um sector viu o número de constituições cair: Agricultura, Caça e Pesca.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Matrics quer revolucionar mercado do gaming em Portugal
Automonitor
Alpine A110S é uma versão ainda mais exclusiva