Há empresas a reinventar os negócios

Num mundo em transformação profunda, há negócios que, para sobreviver, têm que se reinventar. Seja com parcerias ou entrada em novas áreas.

Texto de Daniel Almeida, Maria João Lima e TitiAna Amorim Barroso

Reinventar os negócios ou recomeçar do zero? Talvez seja um exagero, mas para algumas marcas teria sido melhor. Quem não se lembra de uma Kodak, Blockbuster, Páginas Amarelas e até de uma Nokia, em que a inércia e/ou a incapacidade de analisar o que se estava a passar no mundo, e mesmo a incapacidade de se reinventarem, levou a situações que todos conhecemos?

Já deixou de ser notícia a rapidez com que tudo muda. Contudo, não deixa de ser surpreendente que negócios que eram um sucesso há 10, oito ou cinco anos, hoje são obsoletos, ou, pelo menos, estão em decadência. Foi o mercado, foram os consumidores, foram os stakeholders e stockholders que ditaram as regras. E uma outra força, essa sim, muitas vezes surpreendente. A concorrência, que hoje vem de todo o lado, dos tradicionais concorrentes e de outras indústrias.

Leia este artigo na íntegra na edição de Junho de 2019 da Executive Digest.

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda