ESPECIAL: REPUTAÇÃO

OS LÍDERES DA REPUTAÇÃO

Confiança, imagem, admiração, familiaridade e Word of Mouth são alguns dos critérios que podem alavancar ou destruir a reputação de uma marca na óptica do consumidor. por categorias, e de acordo com o estudo Marktest Reputation Index, os produtos alimentares são os que apresentam um maior índice de reputação.

CASOS:

ACTIVOBANK – CULTURA DE ÉTICA

Os benefícios de conquistar e manter uma boa reputação são muitos, principalmente num sector tão sensível como a banca. O Activobank trabalha todos os dias neste sentido, o que lhe vale ser a marca mais reputada entre os bancos online.

CAIXA GERAL DE DEPÓSITOS – ATRIBUTOS DE CONFIANÇA

Para a CGD, a reputação representa a capacidade de exponenciar a confiança na instituição, nos colaboradores, nas competências e know-how, bem como no seu comercial, nas parcerias que institui. e a confiança é o maior valor dos “depósitos” que a caixa gere.

CONTINENTE – ACTUAÇÃO TRANSPARENTE

Em três décadas de actividade, a marca Continente, da Sonae MC, construiu uma reputação que lhe permite estar no topo das preferências dos portugueses. Mantê-la é um trabalho diário que cabe a todos os colaboradores.

LUSO – RELAÇÃO DE CONFIANÇA

Ser transparente, autêntico, estabelecer um discurso directo, falando para o indivíduo e defender causas e propósitos sinceros são pedras basilares para a construção de uma boa reputação. a marca luso fá-lo todos os dias, desde há 160 anos.

MULTICARE – CONSTRUIR COM EMPENHO

A comunicação mais rápida e a disseminação da informação trazem desafios na gestão da reputação. Na Multicare, é o empenho no trabalho diário que garante que este activo intangível se mantém no topo das prioridades.

OK! TELESEGUROS – ACTUAR COM RESPONSABILIDADE

Os clientes estão mais informados, críticos e exigentes e só as empresas que acompanharem as exigências dos novos tempos conseguirão construir e manter uma boa imagem. Na Ok! Teleseguros, este é um caminho trilhado diariamente.

Artigo publicado, na íntegra, na edição de Janeiro de 2018, da Revista Executive Digest

Artigos relacionados
Comentários
Loading...