E-commerce e Black Friday: 5 dicas infalíveis para se destacar e vender mais

Por Sandra Turchi, directora e fundadora da Digitalents

Sendo um peixe pequeno, como se destacar num oceano de grandes tubarões? Esta é a pergunta que permeia a mente dos pequenos empreendedores digitais. Desde que se consolidou, a Black Friday é uma das datas que mais movimentam o retalho, fazendo o comércio físico e, principalmente, o online facturar. Alto.

De acordo com dados da GFK, as vendas na Black Friday deste ano deverão crescer 4%, alcançando um máximo de R$ 13,5 mil milhões (cerca de três mil milhões de euros) no sector de bens duráveis. Como comparativo, em 2018 esta data registou um crescimento de 9% e facturamento de R$ 13 mil milhões (2,9 mil milhões de euros).

Os gigantes do retalho têm vindo a preparar-se desde o primeiro semestre: negociando ofertas, alinhando prazos logísticos e reforçando servidores.  O que pode, então, o pequeno empreendedor fazer quando “o mar não está para peixe”? Planear. Respeitando os limites do próprio negócio, é possível “surfar na onda” da Black Friday.

Confira estas cinco dicas:

1 – Planeamento: rima, inclusive com facturamento. Essa é a etapa mais importante rumo ao sucesso, não apenas no período da Black Friday, mas ao longo das demais épocas do ano. Já negociou os prazos com os fornecedores? Os e-mails marketing já foram disparados? Todos os canais de comunicação estão activos? E o site, já foi testado? Suporta um grande fluxo de possíveis clientes?  A Black Friday gera muita expectativa nos clientes e muita coisa pode não dar certo: as pessoas não ficarem a saber das promoções, o site sair ficar em baixo no momento da venda ou mesmo a transacção não ser concluída. Pensar em todos os possíveis problemas, e procurar corrigi-los com antecedência, é fundamental. Isto é planeamento;

2 – Venda segurança: as questões de segurança precisam estar bem alinhadas – e serem percebidas pelos clientes. Por mais que as vendas online se estejam a tornar rotina para a maioria das pessoas, muitas ainda temem realizar transacções virtuais. Para converter essa parcela, é importante um site que transmita segurança. Utilizar layouts simples, com informações claras sobre como realizar a transacção ajuda a situar quem ainda não é familiarizado com as compras online. Também é necessário criar sinalização clara destacando os produtos ou serviços em promoção para a Black Friday. Floaters interactivos, por exemplo, podem ser uma boa solução;

3 – Comunique-se: planeou? Fez todos os testes de segurança? Agora, divulgue para os consumidores activos ou potenciais. Durante a Black Friday, o cliente vai receber promoções de dezenas ou centenas de empresas; ele precisa lembrar-se da sua também. Use e-mails marketing, redes sociais e todos os outros canais que estejam disponíveis para divulgar que o seu negócio marca presença na Black Friday;

4 – Relacione-se: a Black Friday é um óptimo momento para criar ou consolidar uma boa imagem do e-commerce. O grande fluxo de clientes potenciais é uma ótima oportunidade para elevar a base de contactos, estabelecer relações de longo prazo e fidelizar o consumidor. Aproveite a Black Friday para conquistar de vez os clientes, fazendo com que voltem a comprar nos demais meses do ano;

5 – Que eles voltem depois: a Black Friday passou e não deu para vender todo o stock? Não precisa esperar por 2020 para criar uma nova promoção. Que tal promover uma liquidação geral? Pode oferecer descontos ou condições especiais de pagamento para as compras de Natal, por exemplo. Essa pode ser uma forma interessante de atrair os consumidores e, com o tempo, fortalecer a relação por meio da comunicação e do bom atendimento. Uma coisa está vinculada à outra.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...