«CGD quer devolver dinheiro aos contribuintes», diz Paulo Macedo

Fotografia: Lusa

A Caixa Geral de Depósitos (CGD) quer «remunerar e devolver o dinheiro aos contribuintes». A garantia foi deixada esta amanhã pelo CEO Paulo Macedo, citado pela TSF, referindo-se aos portugueses que injectaram fundos nesta instituição bancária tendo em vista a sua recapitalização. «A Caixa não tem gestores pagos para ver navios», acrescenta o responsável, durante a Money Conference, organizada pela TSF, Dinheiro Vivo e EY.

O evento contou ainda com a presença de Carlos Costa, governador do Banco de Portugal, que aproveitou a oportunidade para sublinhar que os bancos precisam de ser mais ambiciosos na redução do crédito mal parado. Isto mesmo levando em consideração os desenvolvimentos positivos que o responsável acredita terem ocorrido no sistema bancário português ao longo dos últimos anos – nomeadamente em termos de estabilidade, liquidez e produtividade.

«Têm de continuar a reduzir activos não produtivos (…), eu diria mesmo que os bancos deviam ser mais ambiciosos» afirmou Carlos Costa. Segundo o governador do Banco de Portugal, este é um factor que condiciona a confiança do mercado e o interesse dos investidores.

É preciso também trabalhar na capacidade de absorver perdas, assegurar que o crédito reflecte o risco das aplicações e evitar comportamentos desajustados num contexto de baixas taxas de juro. A fiscalização é outra área a trabalhar, adianta Carlos Costa, revelando que será lançada uma consulta pública para novas regras que obrigarão os bancos a reforçar o controlo interno. «Se não formos capazes de ter um sistema financeiro eficiente, quem paga é o depositante ou o cliente.»

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda