CEOs portugueses subscrevem guia sobre Direitos Humanos

O Guia do CEO sobre Direitos Humanos conta com a assinatura de líderes nacionais como António Mexia (EDP), Ângelo Ramalho (Efacec), Cláudia Azevedo (Sonae), João Castello Branco (The Navigator Company) e Vasco de Mello (Brisa) – alguns deles subscreveram a versão original e outros a versão portuguesa.

No caso da versão portuguesa, a responsabilidade cabe ao BCSD – Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável. É esta a organização responsável por adaptar o manual que visa promover um maior desenvolvimento da gestão das empresas na melhoria das condições de vida dos colaboradores e comunidades.

A ideia é que a estratégia das empresas vá além da gestão de risco e do cumprimento dos quadros legislativos e regulatórios, na busca de transformações positivas na vida das pessoas, segundo é explicado em comunicado.

«O respeito pela dignidade humana é um princípio que deve presidir a todas as relações, incluindo as que têm lugar na esfera empresarial. Num mundo em que vivemos situações de risco permanentes, quer no plano ambiental, com a emergência climática, quer no plano social, com as migrações, apenas para dar alguns exemplos, é crucial que as empresas integrem o respeito pelos Direitos Humanos na gestão responsável do seu negócio e potenciem os impactos positivos que podem ter na sociedade», sublinha João Castello Branco, CEO da The Navigator Company e presidente do BCSD Portugal.

João Wengorovius Menezes, secretário-geral da organização, acrescenta que partilhar experiências empresariais auxilia as lideranças no reconhecimento de oportunidades e necessidades de actuação ao nível dos direitos humanos.

A versão original do Guia do CEO sobre Direitos Humanos foi desenvolvida pelo World Business Council for Sustainable Development (WBCSD) e conta já com 43 empresas de 17 países, com 2,8 milhões de colaboradores directos.

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda