Nova SBE: financiar a massa cinzenta

O campus de Carcavelos da Nova SBE é inaugurado no final de Setembro, depois de um financiamento ímpar em Portugal onde foi envolvida a sociedade civil, desde as empresas às fundações e aos indivíduos. Mas o trabalho que a nova escola se propõe fazer está longe de terminado e continua a precisar de funding, assegura Daniel Traça, dean da instituição.

Texto de Maria João Lima

Foto de Paulo Alexandrino

Internacionalização, capacidade de criar pontes com outras e ajuda para ao longo da vida os alunos criarem capacidades para estarem sempre à frente de um mundo que se mexe e muda a uma velocidade mais rápida do que o cérebro está habituado a tratar. É este o futuro do ponto de vista de Daniel Traça, dean da Nova SBE, escola que inaugura o seu novo campus em Carcavelos a 29 de Setembro.

O dean da Nova SBE defende que há três dimensões que tem que serem trabalhadas: as competências do futuro e ser capaz de as desenvolver ao longo da vida; estar com as empresas que têm o desafio da velocidade da mudança ajudando-as a evoluir e a renovarem-se; e perceber que toda esta mudança e necessidade dos indivíduos se ajustarem vai gerar turbulência na sociedade. «Queremos encontrar não só soluções para os indivíduos e para as empresas, mas também para sociedade. A universidade do futuro é perceber estas tendências, agir nestes níveis e fazer com que se complementem.»

Leia este artigo na íntegra na edição de Agosto de 2018 da Executive Digest.

Ler Mais
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Quer ir ao Burning Man? Cuidado com os bilhetes falsos
Automonitor
#Ensaio – Mercedes-Benz GLC 220d – A medida perfeita