Europa deveria ambicionar “redução de emissões entre 45 e 55%”

Pedro Martins Barata, coordenador do Roteiro para a Neutralidade Carbónica 2050 e membro do Conselho Geral da associação ambientalista Zero, propõe uma redução de entre 45 e 55% na emissão de gases. A proposta supera a meta actual da Europa, que se fixa numa diminuição de 40% até 2030.

Em entrevista ao jornal Expresso, o responsável indica que é preciso acelerar algumas transições: «Demorámos muito tempo a lançar os leilões de energia, podíamos tê-lo feito mais cedo. Mesmo no caso dos veículos eléctricos, isso deveria ser acelerado. Mas a questão mais premente tem mesmo que ver com o nosso índice de pobreza energética, que é muito elevado.» Pedro Martins Barata sugere como soluções a implementação de programas de reabilitação urbana, nomeadamente a distribuição de tecnologias diferentes de aquecimento.

Com a Cimeira de Madrid como pano de fundo, o responsável aponta ainda que um bom acordo seria aquele que permitisse aplicar os mecanismos de cooperação previstos no Acordo de Paris «mas com base em regras muito fortes para evitar a dupla contagem, que acontece quando ambos os países envolvidos numa colaboração para a redução de emissões contabilizam essa redução como sendo sua». Pedro Martins Barata não acredita, porém, que se chegue a esse “bom acordo”, sublinhando que existes muitas organizações que preferem nenhum acordo em vez de um mau acordo.

«E eu concordo», adianta, «porque se este mecanismo for tal como está escrito será difícil chegar a um acordo ambientalmente correcto». Este deverá ser, por isso, «dos dossiês mais quentes da cimeira».

Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Guerra do streaming: consumidores dão oportunidade aos novos players
Automonitor
As ideias (brilhantes) da Skoda