E se…

Por Nelson Pires, General Manager da Jaba Recordati

Não gosto de escrever sobre política, apenas das suas consequências na vida das pessoas. Mas as imagens de massacres que nos entram em casa todos os dias, obrigam-me a escrever este artigo de opinião (algo utópico).

E se todos os russos fossem expulsos dos países civilizados do Ocidente? Legalizados, residentes, estudantes, naturalizados, diplomatas, o que fosse. Eles também seriam vítimas da guerra, mas pelo menos não eram torturados, executados e mortos como os ucranianos. Seriam apenas “retornados”. É verdade que viam as suas vidas destruídas apenas por algo que não têm culpa, de serem Russos . Mas os Russos têm culpa de serem governados por este cobarde e “Hitler russo”, que ganhou umas supostas eleições democráticas com mais de 70% dos votos! Podem portanto sofrer esta consequência que de acordo com o princípio da proporcionalidade até está correcta. Pois os ucranianos, as vítimas de Busha e o resto do mundo não têm de sofrer as consequências dos Russos escolherem Putin para os governar há 20 anos. Mas infelizmente os Ucranianos estão a sofrer da pior forma e todos nós em menor escala. Esta seria uma justificação “quase tão boa e válida” quanto as três apresentadas pelos Russos: “ a desnazificação” dos Ucranianos pelos Russos, o “alto risco” que correm cidadãos pró-Russos no Donbass (apresentados por Putin e seus “escravos”) ou o não querer ter a NATO (organização defensiva) como vizinha.  Os países civilizados também podem não querer ter residentes ou vizinhos Russos, que votam num “Hitler do século XXI”, cujo exército que os representa utiliza bombas de fragmentação para matar crianças ou que colocam em risco os valores das sociedades ocidentais. Que até ameaça retaliar contra a Finlândia e a Suécia por se quererem juntar à NATO.

Por outro lado, Infelizmente a Ucrânia será destruída por um exército russo cobarde que não tem competência para vencer a guerra, apenas vai “ganhando batalhas” executando civis e destruindo um país com mísseis. Têm medo de lutar cara a cara! E Putin Que devia ser o “general sem medo” continua escondido no seu palácio! Que imagem de liderança para o valente povo Russo que expulsou os nazis de Estalinegrado.

Tivemos a coragem de pensar em arrestar a riqueza “kleptópica” dos oligarcas russos, mas esquecemos-nos de sancionar os outros cerca de 6.000 malfeitores identificados por Alexei Navalny, que rodeiam Putin. Devem todos também ser considerados criminosos de guerra e os seus bens “congelados” para pagar indemnizações de guerra aos ucranianos bem como as famílias destes párias expulsas de países civilizados com cujos valores não se identificam!

Outro argumento muito utilizado para defender Putin é a falta de informação da posição do tirano, por causa do blackout do Ocidente aos meios de comunicação Russos. Mas qual blackout? O primeiro e mais importante “lápiz azul” da censura é de Putin quando fecha estações de rádio e tv que apresentam factos sobre a guerra, proíbe que se fale em “invasão”, prende manifestantes contra a invasão ilegal e bloqueia redes sociais porque não são pró-Putin… ou seja houve um blackout à máquina de propaganda Russa pelo ocidente, e bem! Se não ainda estávamos a ouvir o mentiroso Lavrov ou o Peskov a dizer que a Rússia não ataca alvos civis, como no massacre de kramatorsk de civis que apenas esperavam um comboio para fugir em segurança.

Mas ainda podemos ter sorte, pois Putin fará 70 anos em outubro (e a esperança média de vida dos homens Russos é de 67 anos), pois este regime tirânico não terminará por si só. Só pode implodir por dentro! Imagine a pressão dos cidadãos que retornassem à mãe Rússia sem casa e sem trabalho, expulsos de países civilizados que respeitam a vida; um pouco melhor do que a imagem que vemos todos os dias das Ucranianas e suas crianças, que fogem da guerra para a Polónia e outros países, apenas com um saco plástico onde cabem todos os seus pertences. Sem saberem se os seus familiares morreram já!

A esperança média de vida ou este caminho de expulsão generalizada, poderiam ser os únicos que criassem coragem para uma revolução para a democracia deste país. Pois as inúmeras sanções mas que excluem a importação de gás para a Europa, a cínica posição da Índia e da China que não foram sancionadas pelo Ocidente, bem como a falta de sanções a todos os 6.000 “spree killers” que rodeiam o “serial killer” Putin, vão levar muito tempo a ter impacto e entretanto matar muitos inocentes. Putin não é um lunático, mas um assassino de guerra. Um tipo de “serial killer” que é o missionário, que acredita que a sociedade se deve livrar de determinadas categorias de pessoas pois crê que estas são o mal do seu desejo de mundo imperialista.

Não vamos portanto tomar esta medida de expulsão generalizada e Putin sabe isso. Os valores civilizacionais do Ocidente são fortes e não sacrificam o inocente por causa do culpado. Portanto só podemos desejar que esperança média de vida produza os seus resultados.

Em suma, um assassino calculista como este não pode ter o poder da guerra!

Ler Mais

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.