Doenças oncológicas e cardíacas podem ser contagiosas

Ainda que nos seja ensinado na escola que o cancro ou as doenças cardíacas não são contagiosas, um estudo divulgado pela revista Science diz que estas doenças pode ser igualmente transmissíveis pelo contacto humano.

Segundo a revista, o corpo humano está repleto de bactérias, vírus e outras componentes invisíveis, que se sustentam através do próprio organismo. Muitas delas coexistem sem causar nenhum dano, podendo até ser benéficas para a saúde.

No entanto, nos últimos anos começaram a ser reveladas formas complexas pelas quais o microbioma – conjunto de todos os microorganismos que residem nos tecidos e fluidos humanos, composto principalmente por bactérias – pode afectar o corpo humano, sobretudo se estiver desequilibrado. O que leva os especialistas a acreditar que muitas doenças ditas não transmissíveis podem afinal ser transmissíveis através do microbioma.

Actualmente, já existem evidências da transmissão do microbioma entre humanos, por exemplo entre mãe e filho no útero, bem como nas bactérias fecais de outras pessoas, que podem entrar em contacto com os alimentos ingeridos.

Os investigadores dizem que as doenças não transmissíveis podem passar para outros pacientes através de micróbios intestinais, contudo é difícil de provar que as bactérias intestinais transferidas possam originar doenças não transmissíveis.

Mesmo que exista um microbioma para a doença de Alzheimer, por exemplo, ninguém que o tenha vai acordar com demência no dia seguinte, de acordo com Brett Finlay, co-autor do artigo e microbiologista da Universidade da Colúmbia Britânica.

Finlay acrescenta que muitas das condições crónicas demoram anos a surgir e nem todos ficam necessariamente doentes, contudo se a teoria do artigo estiver correcta pode abrir-se uma nova porta para uma investigação mais profunda de determinadas doenças. Para já é necessário continuar a investigar.

 

Ler Mais
Artigos relacionados
Comentários
Loading...

Multipublicações

Marketeer
Quer ir ao Burning Man? Cuidado com os bilhetes falsos
Automonitor
#Ensaio – Mercedes-Benz GLC 220d – A medida perfeita