Colaborar. Inovar. Transformar.

Rui Coutinho, diretor executivo do Innovation Ecosystem da Nova SBE

 

O Innovation Ecosystem materializa a visão da Nova SBE de ser uma escola cada vez mais envolvida e empenhada na construção de um futuro mais sustentável e melhor para todos. Três anos volvidos sobre a inauguração do novo Campus de Carcavelos, esse grande desafio é agora traduzido numa nova ambição: transformar a Nova SBE numa grande plataforma de colaboração, de cocriação e de cruzamento de ideias, visões e culturas diferentes que, através da inovação e do impacto, construa novas soluções para os grandes desafios existenciais que são colocados às empresas e aos indivíduos.

A dimensão e diversidade da Nova SBE têm permitido, ao longo dos anos, o surgimento de múltiplas iniciativas e diferentes instrumentos de inovação e impacto. Seja do lado de estudantes e docentes, no contexto das atividades de educação e da consolidação do “Project-based learning”, enquanto metodologia pedagógica muito relevante; seja do lado da investigação, onde os centros de conhecimento têm desempenhado um papel relevantíssimo na produção de conhecimento; seja do lado da ligação com as empresas, onde o trabalho de proximidade aos problemas reais da sociedade e dos negócios tem permitido soluções colaborativas de geração de valor partilhado. A verdade é que a Nova SBE é hoje um hub incontornável de inovação, de impacto e construção de uma nova geração de profissionais responsáveis, empreendedores e inovadores, e de uma nova geração de organizações, conscientes do seu papel nos negócios, mas também da sociedade como um todo.

O Innovation Ecosystem visa agora transportar este trabalho para um novo patamar de impacto e de excelência. Será um orquestrador destas iniciativas e destes processos, capaz de lhes conferir uma maior robustez, maior capacidade de geração de impacto positivo para todos. Ligaremos, assim, vários dispositivos já existentes – como o Westmont Institute for Tourism and Hospitality, o Haddad Entrepreneurship Institute, o Co-Innovation Lab, o Digital Experience Lab ou o Data Social Sciences Lab – com novas abordagens e formas de trabalho colaborativo. Passaremos agora a ter equipas residentes de inovação corporativa de empresas como a Ageas, o CEiiA, o CyberGym, o INCM Lab, a Morais Leitão, a Oceano Fresco, a Schréder e a SIBS, que “habitarão” o nosso campus e colaborarão ativamente com os restantes parceiros empresariais de referência da Nova SBE, com os clubes de estudantes, os alumni, os docentes, investigadores e centros de conhecimento e laboratórios, ou com as nossas start-ups.

Passaremos também a trabalhar em torno do conceito de Innovation Circles – redes ativas de inovação colaborativa, focadas em cinco grandes verticais: Financial Services & Sustainable Finance; Smart Cities & Communities; Health & Well Being;  Space, Green & Blue Economy; e Hospitality & Customer Journeys.

Este trabalho colaborativo focar-se-á em grandes programas de investigação e de aceleração, em trabalhos de projeto com alunos e na ativação da comunidade integrante de cada Innovation Circle.

Acreditamos que esta nova ambição permitirá aumentar significativamente o impacto dos diferentes outputs do Innovation Ecosystem. Esse é o nosso objetivo: que a Nova SBE seja reconhecida, nacional e internacionalmente, como o mais vibrante, importante e impactante ecossistema de inovação em Portugal, assim como um dos mais ambiciosos da Europa.

 

 

Ler Mais

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.