Zuckerberg alerta funcionários para “uma das piores recessões da história recente”. Meta já está a reduzir contratações

A Meta, dona do Facebook, disse recentemente que cortou os planos de contratação de engenheiros em, pelo menos, 30% este ano. Os planos, que eram inicialmente de contratar cerca de 10.000 novos engenheiros de 2022, passaram para a contratação de cerca de 6.000-7.000.

Os dados foram avançados pelo CEO Mark Zuckerberg, numa sessão semanal de perguntas e respostas com os funcionários a que a ‘Reuters’ teve acesso, onde os alertou para se prepararem para uma recessão económica.

“Se tivesse de apostar, diria que esta pode ser uma das piores recessões que já vimos na história recente”, disse o chefe executivo, acrescentando que para além da redução de contratações, a empresa vai deixar alguns cargos por preencher, por questões de desempenho e para eliminar funcionários que não sejam capazes de atingir objetivos mais difíceis.

“Realisticamente, há provavelmente uma série de pessoas na empresa que não deveriam estar aqui”, disse Zuckerberg.

“Parte da minha esperança, ao aumentar as expectativas e tendo objectivos mais agressivos (…) é que penso que alguns podem decidir que este lugar não é para vocês, e que a auto-selecção está bem para mim”, explicou.

A agência de notícias teve ainda acesso a um memorando interno onde é explicado que a empresa de redes sociais se está a preparar para a segunda metade do ano, tendo de lidar com pressões macroeconómicas e danos na privacidade de dados do negócio de anúncios.

“Tenho de sublinhar que estamos em tempos sérios e que os ventos contrários são fortes. Precisamos de trabalhar sem falhas num ambiente de crescimento mais lento, onde as equipas não devem esperar grandes influxos de novos engenheiros e orçamentos”, escreveu o Chief Product Officer Chris Cox.

Ler Mais


Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.