XXV Barómetro Executive Digest: Rui Soucasaux Sousa, Católica Porto Business School

A análise de Rui Soucasaux Sousa, Dean da Católica Porto Business School

Os inquiridos indicam um crescimento do volume de negócios na primeira metade de 2022 face ao período homólogo do ano anterior; manifestam-se também optimistas quanto ao crescimento do volume de negócios e exportações em 2022 como um todo. Estes dados não surpreendem, dado o desempenho débil em 2021 devido à pandemia. Mas não deixa de ser significativo que tais expectativas de crescimento permaneçam fortes no actual contexto económico e político. Os principais receios em 2022 relacionam-se com potenciais impactos negativos do actual contexto na procura e nos custos. Mais de metade dos inquiridos reporta que a guerra na Ucrânia teve um impacto nos seus custos, mas para já não se parece fazer sentir de forma significativa na procura. De longe, o maior desafio que as empresas antecipam em 2022 é o da contratação e da retenção de pessoas. Espera-se que, para além do sector do turismo, a retoma incida nos centros de tecnologia e de competências, e nos serviços. Para melhorar a competitividade, os empresários esperam do Estado estabilidade fiscal, melhoria dos serviços públicos e flexibilidade na legislação laboral. Tais prioridades fazem sentido num contexto de elevada incerteza – ter flexibilidade e rapidez de resposta será um factor crítico de sucesso.

Testemunho publicado na edição de Agosto (nº. 197) da Executive Digest, no âmbito da XXV edição do seu Barómetro.




loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.