XXIV Barómetro Executive Digest: Nelson Pires, Jaba Recordati

A análise de Nelson Pires, General Manager da Jaba Recordati

O 24.º Barómetro da Executive Digest reflecte bem o mundo BANI em que vivemos. Com 45% dos gestores a não conseguirem fazer previsões realistas sobre o futuro, mesmo com a possibilidade de criar vários cenários. No entanto julgo que a maioria de nós está a fazer uma “gestão à vista” (38%) tentando seguir o plano de negócios. Embora muito positivo são as expectativas de crescimento no primeiro semestre deste ano vs o período homólogo, mesmo com o confinamento verificado em Janeiro deste ano. A inflação em 2022 ajuda, pois era inexistente em 2021. Muito preocupante é o aumento dos custos operacionais em 94% das organizações dos participantes, fruto do aumento do custo das matérias-primas e da energia, mas também do choque da procura e oferta bem como os constrangimentos de “supply chain”. Importa referir também que a inflação galopante preocupa os gestores pelo aumento de custos operacionais mas também de outra forma, pelo aumento das taxas de juro e dos custos de financiamento das empresas portuguesas (51%), a maior parte delas descapitalizadas e já “habituadas a baixas de taxas de juro”. Mas apesar de tudo são mais os gestores que encaram o futuro com confiança (49%) do que com pouca confiança (40%) e como na economia a confiança é fundamental, esta perspectiva pode ser fundamental para o crescimento económico que temos de ter!

Testemunho publicado na edição de Junho (nº. 195) da Executive Digest, no âmbito da XXIV edição do seu Barómetro.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.