XXIV Barómetro Executive Digest: Carla Marques, Intelcia Portugal

A análise de Carla Marques, CEO da Intelcia Portugal

O crescente optimismo que todos tínhamos com o aproximar do fim da pandemia e o que daí resultaria em termos de retoma, foi rapidamente diluído com o recente conflito internacional. Se por um lado a nossa capacidade de adaptação e resiliência foi colocada à prova e nos deu outras competências, que para muitos estavam adormecidas, por outro, trouxe-nos uma visão mais instável e muito cautelosa do futuro. Exemplo disso é a incerteza que é sentida nas previsões económicas e procura dos bens e serviços, com o principal desafio das empresas em Portugal (45%), assim como a timidez no grau de confiança na evolução da economia, nos próximos meses. Denotamos uma grande preocupação pelo aumento dos custos operacionais que variam entre 10% e 30%, pois poderão ter como consequência perda de poder de compra do consumidor a médio prazo. Os desafios estão cá, sempre estiveram, por isso a necessidade de adaptação e planeamento estratégico assumem um ponto de destaque neste barómetro, onde 34% e 38%, respectivamente, indicam isso mesmo. Inovação dos processos, das formas de pensar e gerir, de atrair e reter talento, com aumento de produtividade, serão, a meu ver, os principais catalisadores da nossa economia, potenciando e capacitando o nosso tecido empresarial da elasticidade e agilidade tão necessária. Embora os resultados nos mostrem um cenário de prudência com algum optimismo, continuo a acreditar no optimismo com alguma prudência para o resto do ano.

Testemunho publicado na edição de Junho (nº. 195) da Executive Digest, no âmbito da XXIV edição do seu Barómetro.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.