XXIII Barómetro Executive Digest: Vítor Virgínia, MSD Portugal

A análise de Vítor Virgínia, Managing Director da MSD Portugal

Comentar o barómetro num período tão disruptivo, como o que atravessamos, transforma-se num exercício de futurologia quase impossível. A instabilidade e imprevisibilidade, fruto de uma crise de saúde pública ainda não completamente debelada e de um cenário de conflito armado que decorre, com todos os seus impactos – económicos, energéticos, alimentares, sociais e humanitários (entre tantos outros) – podem tornar rapidamente obsoleta toda esta edição do Barómetro Executive Digest. As respostas dadas pelos participantes alertam-nos para uma caminhada com evidentes dificuldades e barreiras, que podem até ter sido subavaliadas. O impacto até agora observado, tem demonstrado de forma veemente o agudizar de componentes críticas da estrutura de custos da generalidade das empresas e da vida das famílias, o que, como ponto de partida, é só por si um obstáculo de assinalável escala e mitigação altamente exigente. Junta-se uma outra peça do puzzle, tema com crescimento exponencial no quadro de preocupações do panorama empresarial, a protecção contra ameaças cibernéticas, área de grande exposição actual, nunca antes tão na ordem do dia, com enormes implicações legais e de confidencialidade dos negócios. No seu geral, este barómetro é revelador de algum saudável optimismo, sempre tão importante em quem gere e lidera empresas e negócios, a este optimismo, ainda que ténue, dará resposta uma pergunta que se afigura hoje determinante – quanto tempo durará este conflito?

Testemunho publicado na edição de Abril (nº. 193) da Executive Digest, no âmbito da XXIII edição do seu Barómetro.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.