XXIII Barómetro Executive Digest: Vasco Antunes Pereira, Grupo Lusíadas Saúde

A análise de Vasco Antunes Pereira, CEO do Grupo Lusíadas Saúde

Subida das taxas de juro e da inflação, aumento dos custos com a energia, riscos associados a ciberataques e o actual cenário de guerra. Estas são, sem grande surpresa, as principais “ameaças” à actividade empresarial identificadas neste barómetro. Quase 75% dos gestores receiam “muito ou algum” impacto da subida das taxas de juro e da inflação nos planos de investimento das empresas que lideram, enquanto dois terços dos inquiridos admitem estar atentos às consequências do aumento dos custos da energia. Os ciberataques são, também sem surpresa, uma questão central na agenda dos decisores empresariais neste momento, estando a perda de informação relevante, o acesso de terceiros a informação confidencial e a reputação da empresa entre as suas maiores preocupações. Além destes constrangimentos, acrescem agora as incógnitas do impacto do cenário de guerra e da tragédia humanitária na trajectória económica. No momento mais sombrio da Europa desde a II Guerra Mundial, metade dos gestores estima um crescimento do PIB inferior a 3% e prevê uma recuperação do seu sector de actividade empresarial para níveis pré-pandémicos apenas em 2023. O doseado optimismo do arranque do ano aparenta, à luz dos resultados deste barómetro, ter dado lugar a um cepticismo conjuntural que obriga os gestores a voltarem-se para o seio das suas organizações e a reforçarem os drivers do crescimento para fazerem face ao actual enquadramento. Investir na inovação e no lançamento de novos produtos, melhorar os processos comerciais e a capacitação de vendas, e desenvolver os processos de produtividade e eficiência são as três principais apostas.

Testemunho publicado na edição de Abril (nº. 193) da Executive Digest, no âmbito da XXIII edição do seu Barómetro.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.