XX Barómetro Executive Digest: José Theotónio, Grupo Pestana

A análise de José Theotónio, CEO do Grupo Pestana

Apesar das dezenas (senão centenas), de anúncios sobre as medidas de apoio à economia, passados praticamente ano e meio da pandemia ter surgido, dois terços dos empresários consideram que os apoios merecem pouca ou nenhuma confiança. É bem verdade que as sucessivas medidas de apoio ao emprego, desde o layoff simplificado até ao apoio extraordinário à retoma, e as moratórias foram medidas muito importantes para quem a elas conseguiu aceder para, por um lado, manter o emprego, e por outro, para preservar a liquidez mínima necessária à sobrevivência das empresas. No entanto, o sistema de acesso e a libertação de fundos apesar do esforço quer do lado empresarial quer dos funcionários do estado responsáveis pelo processo burocrático, foi lento ou impediu mesmo o acesso a esses apoios. Assim, muitas das empresas, em especial, as de menor dimensão e com menor estrutura administrativa e contabilística não conseguiram aceder aos apoios existentes ou só os obtiveram em parte e muito depois das reais necessidades. Outro aspecto importante seria comparar os apoios disponibilizados em Portugal em cotejo com o que outras economias mais fortes disponibilizaram. Países houve onde se financiou custos fixos para todas as empresas e sem limite do programa Apoiar, se financiaram margens perdidas, e se baixaram de forma muito significativa impostos e taxas equivalentes aos nossos IVA, IMI ou TSU. Agora que vamos sair da crise, voltaremos todos a competir uns com os outros, designadamente nos sectores mais globalizados, mas há empresas de alguns países, dentro do mercado comum, que estarão em muito melhor situação do que as portuguesas, e desta vez não é por falta de capacidade de gestão (como os empresários portugueses muitas vezes são acusados) mas por terem tido medidas para ultrapassar a crise pandémica melhores do que as suas concorrentes portuguesas.

Testemunho publicado na edição de Outubro (nº. 187) da Executive Digest, no âmbito da XX edição do seu Barómetro.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.