XVI Barómetro Executive Digest: A análise de Sofia Salgado Pinto, Católica Porto Business School

A análise de Sofia Salgado Pinto, Dean, Católica Porto Business School.

Através das respostas dadas pelos empresários e gestores, percebemos a realidade que vivemos, no que nos traz de mudança e potencial de oportunidades, bem como a constatação da instabilidade e imprevisibilidade que continuará nos próximos tempos. Como mitigar o risco de um contexto de grande instabilidade e imprevisibilidade económica preocupa perto de metade dos líderes (47%), a que se segue a preocupação pelas “suas equipas”, na forma de as manter em segurança e a conseguir trabalhar (44%).

Após 10 meses de vivência da pandemia é clara, para 56% dos líderes empresariais, a necessidade de ser ágil e inovador para se conseguir aproveitar as oportunidades que surgem no ambiente complexo e instável, sendo que 31% afirma poder lançar novos produtos ou serviços, para recuperar volume de negócios. Mas podemos perceber também, que ao perspectivar o futuro, os líderes vêm que este contexto impele a repensar o modelo de negócio (20%) ou vai exigir adaptação dos produtos e/ou serviços face às mudanças de procura e comportamento dos consumidores no mercado (18%).

Não restam dúvidas que não mais voltaremos ao que vivemos ou à forma como trabalhavam as nossas organizações antes desta pandemia. Parece ser claro para a generalidade dos líderes empresariais que a imunidade conseguida através da vacinação só se fará sentir no final do ano ou em 2022, exigindo continuada resiliência e adaptação.

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...