XVI Barómetro Executive Digest: A análise de Daniel Bessa, Economista

A análise de Daniel Bessa, Economista.

Animal Spirits. A expressão, devemo-la a Keynes, em 1936, na sua “Teoria Geral do Emprego, do Juro e da Moeda”. Descreve os instintos, tendências e emoções que, de forma ostensiva, influenciam e guiam o comportamento humano. Foi a que, em síntese, nos ocorreu a respeito das respostas que deram a este barómetro. Ninguém ignora a gravidade da situação. 64% dos inquiridos não acredita que os efeitos positivos da vacinação cheguem antes do final de 2021.

Depois da quebra do PIB em 2020, de mais de 8%, 38% não acreditam que a recuperação consiga chegar a 3% em 2021, a que acrescem os 41% que acreditam que poderá situar-se entre 3% e 4%. 47% têm como principal preocupação para 2021, em matéria de gestão de risco, a incerteza das previsões económicas, com consequente incerteza na procura dos produtos e serviços que levam ao mercado. Apesar de tudo isto, 20% vêem na crise uma oportunidade para repensarem o modelo de negócio e 56% afirmam a necessidade de se mostrarem ágeis e inovadores para poderem “capitalizar as oportunidades”.

51% afirmam a intenção de manterem os planos de investimento para 2021 e 31% afirmam a intenção de os aumentarem. Preocupados, mas também solidários, 44% afirmam ter como principal preocupação, em matéria de gestão de risco a manutenção dos trabalhadores em segurança e produtivos. Como sempre, em tempos de crise, o foco da gestão para aumentar as receitas concentra-se na eficiência operacional (38% dos inquiridos, nos antípodas dos apenas 7% que privilegiam a abertura de novos mercados). Em matéria de reformas do Estado 49% não pede mais do que medidas de apoio à recuperação económica.

Ler Mais

Artigos relacionados
Comentários
Loading...