Vodafone quer contribuir para os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas

Em 2015, a Organização das Nações Unidas definiu 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) tendo em vista combater a pobreza, as desigualdades e a injustiça, bem como atenuar as alterações climáticas até 2030. O Grupo Vodafone quer colocar ao serviço destes objetivos a sua tecnologia, redes e serviços.

Este envolvimento do Grupo Vodafone tem como base a sua extensa rede a nível global, uma ampla gama de produtos e serviços e o trabalho desenvolvido pela Fundação Vodafone, centrando-se principalmente em cinco dos objetivos das Nações Unidas:

 

  1. Educação de qualidade
  2. Igualdade de género
  3. Trabalho digno e crescimento económico
  4. Indústria, inovação e infraestruturas
  5. Ação climática

 

No que diz respeito à educação de qualidade, o objetivo das Nações Unidas é que esta seja inclusiva e equitativa, e que sejam promovidas oportunidades para todos de aprendizagem ao longo da vida. O Grupo Vodafone e a Fundação Vodafone recorrem à tecnologia móvel para proporcionar aos mais novos acesso a novas e mais alargadas oportunidade de aprendizagem, Por outro lado, são fornecidos recursos e tecnologias de educação gratuita ou subsidiada a grupos particularmente fragilizados como os refugiados, com o objetivo de proporcionar oportunidades de sucesso académico e profissional. 

Através destes programas, 50.000 jovens já fazem parto do projeto escolar Knowledge is Power do Egito e, para isso, 2.500 professores tiveram formação complementar. Do mesmo modo, 850.000 estudantes refugiados já foram integrados no programa Schools for Africa, que dá acesso a educação de alta qualidade através de aulas gratuitas, lecionadas no idioma local.

Quanto ao objetivo da igualdade de género, o Grupo Vodafone proporciona às mulheres acesso a serviços fundamentais que possam desbloquear oportunidades socioeconómicas e promove a inclusão das mulheres nos espaços de trabalho, destacando o seu papel vital para o sucesso. Graças aos programas do Grupo Vodafone, 19,4 milhões de mulheres têm agora acesso a comunicações móveis e a oportunidades para aprender e trabalhar. Por outro lado, 16,9 milhões de mulheres ganharam um maior controlo sobre as finanças das suas famílias através do programa M-Pesa, que lhes permite enviar ou receber dinheiro, poupar e ter acesso a pequenos empréstimos.

O Grupo Vodafone afirma estar empenhado também em ajudar os jovens a desenvolverem as suas aptidões digitais para fazer corresponder as qualificações necessárias aos futuros locais de trabalho, ajudando a promover o acesso ao futuro mercado de emprego e às oportunidades da economia digital. 475.000 utilizadores únicos já completaram a plataforma Future Jobs Finder do Grupo Vodafone, que tem por objetivo inspirar e ajudar os jovens a conhecer o seu potencial e aptidões e a encontrar a oportunidade de emprego certa nesta economia digital. Dom mesmo modo, no período de 2018-19, 54.712 jovens tiveram uma experiência de trabalho no Grupo Vodafone.

Indo de encontro ao objetivo das Nações Unidas sobre indústria, inovação e infraestruturas, o Grupo Vodafone irá continuar a fazer investimentos significativos na sua infraestrutura de rede, na cobertura e na qualidade que será exigida numa economia competitiva como a da era da digitalização, de forma a entregar serviços de alta qualidade que permitam a particulares e empresas conexões confiáveis e seguras, em qualquer lugar. Neste momento o Grupo Vodafone detém uma infraestrutura que conecta 100 países e é constituída por 164.000 estações, 65.000 servidores, 4.200 edifícios e mais de um milhão de quilómetros de cabo. Em 2018-19 o Grupo Vodafone investiu 7,2 mil milhões de euros na sua rede digital e infraestrutura de TI.

Por fim, o Grupo Vodafone está cada vez mais empenhado em reduzir a quantidade de energia exigida ao funcionamento das suas redes e serviços, sem comprometer as crescentes exigências dos clientes em termos de dados. São prioridades da operadora reduzir as emissões poluentes associadas às suas operações e aumentar a proporção de eletricidade contratada a fontes renováveis. Segundo o Grupo Vodafone, já foi feita uma redução de 36% das emissões GHG por petabyte de dados móveis desde 2018, sem impedir que os clientes tenham acesso a cada vez mais dados.

Ler Mais

Comentários
Loading...