Uma das pessoas mais ricas do mundo perdeu 80% da sua fortuna. Alívio da pandemia “expulsou-o” da lista dos 500 mais abastados do planeta

Até há bem pouco tempo, Forrest Li era um dos homens mais ricos do mundo, com uma fortuna avaliada em cerca de 22 mil milhões de dólares, e era a pessoa mais abastada de Singapura.

A pandemia e os consequentes confinamentos fizeram engordar os cofres da Sea, empresa de serviços digitais fundada por Li em 2009. Com negócios nas áreas do comércio eletrónico e do entretenimento e gaming online, a Sea começou a registar um franco crescimento a partir de abril de 2020. Em novembro de 2021, de acordo com dados do Nasdaq, as ações da Sea atingiram o valor mais alto de sempre, quando ultrapassaram a fasquia dos 350 dólares. Contudo, desde então, a empresa te vindo a desvalorizar de dia para dia, estando as ações a ser hoje negociadas na marca dos 75 dólares, uma queda de mais de 65% só desde o início de 2022.

A ‘Bloomberg’ aponta três razões para a queda de uma das pessoas mais ricas do mundo: o selloff nos mercados tecnológicos, o encerramento da principal unidade de comércio eletrónica da Sea na Índia e um desempenho aquém do desejado que fez afundar os lucros.

O negócio do e-commerce, encabeçado pela subsidiária Shopee, era a principal fonte de receitas da Sea. Contudo, com o levantamento progressivo das restrições à circulação, o apetite dos consumidores por compras online, embora ainda se mantenha forte nos dias que correm, começou a desvanecer, arrastando consigo a Sea e a fortuna de Forrest Li.

O empresário singapurense ainda conta com uma fortuna avaliada em quase 5 mil milhões de dólares, mas não é suficiente para manter o lugar no índice da ‘Bloomberg” dos mais ricos do mundo. Contudo, a ‘Forbes’ coloca-o em 607.º lugar da sua lista.



Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.