Um T3 com 116 metros quadrados e até 149 mil euros. Esta é a casa ‘ideal’ dos portugueses

Que casas procuram os portugueses?  Qual é a tipologia, o tamanho ou o preço? Tendo por base os dados dos últimos 10 mil utilizadores do ComparaJá.pt, o portal de comparação financeira revela qual o perfil e preferências de quem solicita crédito habitação.

Entre as principais conclusões do Barómetro do ‘Crédito Habitação 2020’ destacam-se:

· Finalidade: Por cada 10 créditos solicitados, sete são para aquisição, dois para construção e um para transferência;

· Prazo: Mais de quatro em cada 10 créditos têm maturidades entre 36 e 40 anos. Apenas 16% apresentam prazos até 25 anos, estabelecendo-se a média nos 33 anos;

· LTV: maioria das famílias pretende 90% de financiamento. Apenas 1/3 com rácio garantia/financiamento abaixo de 80%.

· Idade: Mais de metade dos proponentes têm idades entre os 31 e 40 anos, representando os consumidores com idades até 30 anos apenas 17% do total. No final do prazo do contrato de crédito, 55% dos proponentes já se encontrarão na reforma.

· Prestação: 1/3 das famílias paga uma prestação entre 250 e 399 euros. Média fixa-se nos 463 euros mensais, apresentando 18% dos contratos prestações inferiores a 250 euros.

Consumidores esperam quase até aos 40 para comprar casa

Se a compra de casa era vista quase como um segundo passo na entrada da vida adulta, a verdade é que, em média, os portugueses esperam até aos 38 anos para pedir crédito habitação. Aliás, é a entrada nos 30’s que parece levar à procura por uma habitação própria.

25,2% dos utilizadores do serviço de crédito habitação do portal de comparação têm idades compreendidas entre os 31 e os 35 anos, enquanto 26,6% recorre a financiamento imobiliário entre os 36 e os 40 anos. De notar ainda que uma percentagem significativa (17,9%) ainda compra casa quando está na primeira metade dos 40’s.

T3 é o predileto na altura de escolher casa

Na altura de escolher casa nova, o T3 foi a tipologia preferida por quase metade dos últimos 10 mil consumidores que recorreram ao serviço de crédito habitação do ComparaJá.pt. É seguido pelo T2, mas a uma distância já considerável: apenas 28% pediu financiamento para comprar uma casa com esta tipologia.

O T4, apesar de ter valores já afastados destas preferências, ainda reúne alguma preferência das famílias (14,6%) que compraram casa com recurso a crédito. Destaque contrário vai para o T0 com 0,5% das escolhas e o T1, com apenas 5,5% dos consumidores a querer comprometer-se com um crédito habitação para comprar uma casa com esta tipologia.

Casas escolhidas têm, em média, 116 m2

No que diz respeito à dimensão da casa, a área bruta média dos imóveis adquiridos pelas famílias que recorreram ao portal de comparação é de 116 m2. Aliás, é no intervalo dos 75 m2 aos 124 m2 que se nota uma maior preferência dos portugueses, tendo 35% adquirido uma habitação neste intervalo de dimensões.

Também é de referir os intervalos de até 74 m2 (21% dos casos), dos 125m2 aos 174 m2 (19%) e dos 175 aos 274 m2 (17%), como tendo percentagens relevantes nas escolhas dos utilizadores. Por outro lado, apenas 5% escolhem uma casa que tenha mais de 275 m2.

Portugueses gastam, em média, 149 mil euros na compra de casa

Conforme os dados do portal de comparação, entre os portugueses que recorrem a financiamento para comprar casa, o valor médio gasto na aquisição do imóvel fixa-se em 149 mil euros. Aliás, analisando o gráfico abaixo percebe-se melhor a distribuição destes valores, com os portugueses, na sua grande maioria, a não ir além dos 174.999 mil euros em gastos numa nova habitação.

Uma percentagem considerável (17,2%) adquire casas cujo valor não ultrapassa os 74.999 mil euros, enquanto o grosso está naqueles que pedem entre 75 mil euros a 124.999 mil euros e 125 mil euros a 174.999 mil euros. São 28,5% e 30%, respetivamente.

Famílias pagam, em média, 463 euros de crédito habitação

O valor médio que os portugueses pagam nos mais recentes contratos de crédito habitação fixa-se nos 463 euros, segundo os dados avançados pelo ComparaJá.pt.

33,45% das famílias pagam entre 250€ e 399€, enquanto 24,24% pagam entre 400€ e 549€. É nestes intervalos que se encontram a maioria dos utilizadores do serviço de crédito do portal de comparação.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...