Um só cartão para consumidores e empresas em toda a Europa? 16 grandes bancos lançam solução pan-europeia

Um pelotão de 16 grandes bancos da zona euro pretendem alterar o curso da história dos pagamentos e irrompem, em plena crise, com as bases para uma nova solução de pagamento que integrará um cartão comum para consumidores e empresas em toda a Europa, abrangendo ainda uma carteira eletrónica e funções de pagamento entre indivíduos, avançam agências internacionais.

A EPI (European Payment Initiative) pretende ser uma solução de pagamento pan-europeia abrangente, aproveitando os pagamentos instantâneos e que será adicionada às soluções existentes oferecidas pelos sistemas internacionais de pagamento.

Segundo os seus promotores, a EPI foi criada com o objetivo de se tornar “o meio de pagamento preferido para consumidores e comerciantes europeus em todos os tipos de transações”, pessoalmente ou online, para além de permitir levantamentos em dinheiro e pagamentos eletrónicos, detalham, em comunicado.

O grupo de ‘visionários’ é composto por bancos de Espanha, Alemanha, Bélgica, França e Holanda, contando com as presenças do Banco Santander, BBVA, Caixabank, Deutsche Bank, BNP Paribas, Groupe BPCE, Commerzbank, Crédit Agricole, Crédit Mutuel, Deutcher Sparkassen- und Giroverband, DZ BANK Group, ING , Grupo KBC, La Banque Postale, Société Générale e UniCredit.

A implementação da EPI ocorrerá nas próximas semanas através da criação de uma empresa de transição em Bruxelas, à qual caberá estabelecer marcos claros sobre o seu funcioanamento, incluindo a definição do roteiro técnico e operacional e o início do desenvolvimento de uma solução que ofereça a melhor experiência ao utilizador.

Cada banco avaliará o desempenho desta empresa antes de ingressar na empresa definitiva que lançará a EPI no mercado, passando então a estar aberta a outros ‘players’.

Os promotores antecipam que a solução entrará em operação em 2022, motivo pelo qual convidaram outros atores do mercado europeu, bancos individuais, consórcios bancários e até terceiros prestadores de serviços de pagamento a solicitar, se quiserem, a sua entrada na EPI até final de 2020, podendo ainda ser ‘parceiros fundadores’.

Na Europa, as soluções de pagamento digital existentes são fragmentadas e os cidadãos europeus nem sempre podem pagar digitalmente e, de acordo com os bancos promotores, a crise da Covid-19 também destacou a necessidade de uma solução digital europeia unificada.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...