Turismo em Portugal com travão a fundo: quebras em maio muito perto dos 100%

Em maio, o setor do alojamento turístico deverá ter registado 157,8 mil hóspedes e 324,3 mil dormidas, o que corresponde a quedas de 93,9% e 95,0%, respetivamente (sendo que em abril as descidas foram de 97,4% e 97,0% em abril, pela mesma ordem), segundo dados da estimativa rápida do Instituto nacional de Estatística (INE), divulgada esta terça-feira.

As dormidas de portugueses terão diminuído 85,6% (numa ligeira melhoria já que a descida em abril foi de 93,0% em abril) e as de estrangeiros terão decrescido 98,1% (98,6% no mês anterior).

Em maio, cerca de 69,7% dos estabelecimentos de alojamento turístico terão estado encerrados ou não registaram movimento de hóspedes.

Diante do contexto da pandemia da covid-19, o INE detalha ainda sobre estes números que as dormidas de residentes terão diminuído 85,6% (-93,0% em abril) atingindo 233,5 mil, representando 72,0% do total das dormidas, enquanto as de não residentes terão decrescido 98,1% (-98,6% no mês anterior), situando-se em 90,8 mil.

Os hóspedes residentes terão sido 123,2 mil, o que se traduz num decréscimo de 86,2% (-94,9% em abril) e os hóspedes não residentes terão atingido um total de 34,6 mil recuando 98,0% (-99,0% no mês anterior).

A totalidade dos principais mercados emissores registou decréscimos expressivos em maio, superiores a 90%.

Em maio, cerca de 69,7% dos estabelecimentos de alojamento turístico terão estado encerrados ou não registaram movimento de hóspedes.

Ler Mais
pub

Comentários
Loading...