Tem um negócio familiar? Siga estas 5 dicas para melhorar a comunicação e manter as relações saudáveis

Os negócios de família são mais comuns do que pensamos, uma vez que é mais fácil dar a oportunidade a familiares que precisam ou ir buscar “a casa” uma ajuda para a vaga que está difícil de ocupar.

A The Alternative Board (TAB) Portugal, que tem uma rede mundial com mais de 25 mil empresários e já acompanhou várias empresas familiares, explica que quanto mais próximas são as relações pessoais, mais importante é estabelecer uma boa comunicação a nível profissional, para evitar mal-entendidos, discussões que transcendem o âmbito familiar para o profissional ou vice-versa e para que todos os restantes colaboradores se sintam integrados.

Por isso, estes negócios devem implementar medidas para que tal não aconteça e, com a ajuda de alguns membros da empresa, a TAB fez uma lista com cinco dicas:

– Fortalecer as relações – Joe Palmer, Proprietário da TAB North Texas:

“As próprias relações familiares devem ser fortes para que o negócio tenha pernas para andar. Para manter os laços fortes, nada melhor que usar uma atividade que junte a família, em que se criem bons momentos que podem, muitas vezes, levar a comunicações críticas sobre o negócio, num ambiente mais descontraído.

Conectarmo-nos com a família a este nível relembra a todas as partes quem a outra pessoa é e que todos temos os mesmos valores. É importante nunca esquecer a “família” no negócio de família.”

 

– Um facilitador externo ajuda, e muito! – Robert Haines, Proprietário da TAB Treasure Valley, Idaho:

“Uma das ferramentas mais eficazes que já vi serem usadas para garantir que todos os membros estão no mesmo comprimento de onda é a presença de um facilitador profissional externo. Um coach ou mentor com experiência neste tipo de conflitos pode ser uma grande ajuda para dar oportunidade a todos os membros da família de expressarem as suas opiniões.”

 

– Separe os dois mundos – Paul Malherbe, Proprietário da TAB África do Sul:

“Nas palavras de George Bernard Shaw: «O maior problema da comunicação é a ilusão de que aconteceu.» A complexidade de um negócio familiar advém, principalmente, das duas relações que existem: a relação empresarial e a pessoal. Os membros da família pensam que, por se verem regularmente, a comunicação acontece. Isto pode ser um equívoco se os assuntos importantes não forem transmitidos. Para garantir uma comunicação adequada, é importante estabelecer dois canais de comunicação:

  • Reuniões formais: Sempre que necessário (mas não menos do que duas vezes por mês), realize uma reunião formal para discutir questões operacionais, táticas e estratégicas do negócio. Estabeleça uma agenda com resultados específicos e planos de ação, semelhantes a qualquer outra reunião de gestão.
  • Reuniões informais: Marcar uma reunião de negócios informal de duas em duas semanas sem agenda, sem tópicos e sem estrutura. Discutir o negócio e a vida empresarial; sentir a temperatura um do outro. Tomar um café ou beber uma cerveja se for numa sexta à tarde.”

 

– Toda a equipa deve estar consciente da família – David Scarola, Chief Experience Officer da TAB Home Office:

“Às vezes, os donos de negócios de família querem passar a ideia de que o seu negócio funciona como qualquer outro, o que não é verdade de todo. Muitas vezes, a dinâmica familiar não é clara para as novas contratações. É muito provável que a posição de algum membro da família seja questionada, o que o deixa numa situação difícil. Se o empresário explicar às novas contratações, logo desde o início, que o seu negócio funciona como a maioria dos outros negócios, mas num ambiente familiar (e que algumas decisões podem ser tomadas no interesse da família e não da própria empresa), ajuda os outros colaboradores a compreender e a aceitar estes elementos. Isto cria um ambiente melhor também para os outros membros da família no negócio.”

 

– Estabelecer uma hierarquia – Rita Maria Nunes, Country Manager da TAB Portugal:

“As relações familiares baseiam-se em emoções, e como tal, qualquer conflito ou decisão tem o potencial de escalar e transcender o âmbito profissional. Ao estabelecermos uma hierarquia (que não tem necessariamente de corresponder à hierarquia familiar) ou ao compartimentarmos a tomada de decisão (um tem a palavra final sobre marketing, outro sobre contabilidade, etc.), prevenimos conflitos desnecessários e evitamos que cada decisão leve o dobro do tempo a ser tomada. Se todos estiverem cientes da hierarquia e a respeitarem, será muito mais simples e os conflitos serão muito menos frequentes.”

Ler Mais



loading...

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.