Tem colaboradores em casa a tomar conta da família? Isto é o que deve fazer

Nem só de economia ou finanças se fala quando o tema é apoiar colaboradores que estão em casa a trabalhar ao mesmo tempo que tomam conta da família – seja dos filhos que não têm aulas, de pais/avós que não têm as condições necessárias ou do marido/mulher que ficou doente. Os líderes devem ter em atenção também o lado relacional desta crise e garantir que os seus funcionários sentem que não são esquecidos.

Questionados pelo Business Insider, dois CEOs norte-americanos dão conta das estratégias que podem ser adoptadas para tomar conta das respectivas equipas. Lindsay Jurist-Rosner, CEO da Wellthy, explica que os cuidadores (designação atribuída a quem está em casa a cuidar de famliares) vêem-se obrigados a equilibrar responsabilidades de trabalho com os trabalhos de casa das crianças ou cuidados a um pai que deixou de ter empregada em casa, por exemplo.

Michael Walsh, co-fundador e CEO da Cariloop, também considera que, perante as circunstâncias actuais, há alguns passos que a empresas podem dar. Eis as quatro dicas de ambos os profissionais:

Ter empatia

«As pessoas estão a tentar trabalhar, mas também estão a tentar ser bons pais ou bons cuidadores», sublinha Michael Walsh. Os empregadores devem ter consciência deste facto e mostrar que sabem como a vida se tornou mais complicada e garantir que estão prontos a apoiá-los dentro do possível.

Oferecer flexibilidade

Os cuidadores poderão não conseguir respeitar o horário das 9h às 17h que lhes foi atribuído. Michael Walsh recomenda que os líderes de empresas ofereçam às suas equipas a flexibilidade necessária para que consigam levar a cabo os vários papéis que desempenham ao longo do dia.

Lindsay Jurist-Rosner acrescenta que há momentos que não podem ser programados, pelo que reservar a primeira hora da manhã para ajudar os mais novos com a escola não é suficiente. Por vezes, surgirão imprevistos e os empregadores deverão estar preparados para isso.

Criar grupos de apoio

Lindsay Jurist-Rosner sugere ainda que sejam criados grupos de apoio entre os colaboradores, juntando os vários cuidadores da equipa, por exemplo. A ideia é que encontrem um espaço seguro e onde se sintam mais confortáveis para partilhar experiências e pedir ajuda.
As empresas deverão também lembrar os funcionários de quaisquer benefícios de saúde digital que os respectivos seguros ofereçam.

Expandir os benefícios para os cuidadores

E por falar em benefícios, os empregadores podem também aliviar o fardo dos cuidadores ao disponibilizar fundos especificamente pensados para pagar cuidados infantis ou referentes a idosos. Neste campo, pode ser considerada também a atribuição de uma licença para que os colaboradores possam tomar conta de um familiar infectado pelo COVID-19.

Ler Mais
pub

Artigos relacionados
Comentários
Loading...