TAP reabre medidas de adesão voluntária para saída de mais trabalhadores

Após o primeiro período de adesões a rescisões por mútuo acordo, licenças sem vencimento, reformas antecipadas, pré-reformas e trabalho a tempo parcial, que decorreu entre 11 de fevereiro e 14 de março, a companhia aérea inicia esta sexta-feira um novo programa de medidas voluntárias para a saída de trabalhadores.

Este novo período arranca hoje e termina no próximo dia 30 de abril. Cerca de 690 trabalhadores candidataram-se e foram aceites no primeiro programa de medidas voluntárias. A grande maioria dos pedidos (70%) foram para rescisões por mútuo acordo.

A TAP afirmou que o programa de medidas voluntárias e os acordos de emergência já celebrados com os sindicatos vão permitir reduzir as saídas previstas no plano de reestruturação de cerca de dois mil para entre 490 a 600 trabalhadores.

«O programa de Medidas Voluntárias e a implementação dos Acordos de Emergência celebrados permite ajustar e reduzir o número inicial de redimensionamento, inscrito no Plano de Reestruturação em aprovação na Comissão Europeia, de cerca de dois mil para um número entre 490 a 600 trabalhadores, à data de hoje [09 de abril]», referem os presidentes do Conselho de Administração e Comissão Executiva, Miguel Frasquilho e Ramiro Sequeira, respetivamente, numa mensagem enviada aos trabalhadores a que a Lusa teve acesso.

Para os responsáveis, os acordos de emergência celebrados com todos os sindicatos que representam os trabalhadores da TAP, «criaram as condições para, num clima de entendimento laboral, se prosseguir o cumprimento dos objetivos do Plano de Reestruturação de ajustamento da estrutura de custos e da otimização da força de trabalho, reconfigurando o quadro de pessoal a fim de o mesmo dar resposta aos níveis de operação e receita projetados, no curto e médio prazo».


Artigos relacionados
Comentários
Loading...